compartilhe>

São Paulo - Apreensões - Agentes da Secretaria da Administração Penitenciária de São Paulo apreenderam neste fim de semana 27 celulares e até drogas dentro de pães, que seriam levados para presos em CDPs (Centros de Detenção Provisória) na capital paulista e região metropolitana.

G1 - O presidente Michel Temer autorizou o uso da Força Nacional de Intervenção Penitenciária para resolução da crise do sistema prisional do Piauí, segundo a Secretaria de Justiça (SEJUS) do Estado.

Leia a matéria:

https://g1.globo.com/pi/piaui/noticia/temer-autoriza-intervencao-da-forca-nacional-em-presidios-do-piaui.ghtml

Alagoas 24 horas - “Os agentes penitenciários de Alagoas ameaçam paralisar as atividades no próximo sábado (14/10) e domingo (15/10), devido ao não avanço das negociações do Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) da categoria. A manifestação foi oficializada na manhã desta terça-feira (10) em nota enviada pelo Sindicato dos Agentes Penitenciários de Alagoas (Sindapen) à imprensa”.

Leia a matéria:

http://www.alagoas24horas.com.br/1098763/agentes-penitenciarios-ameacam-paralisar-atividades-proximo-final-de-semana/

 

“Governo do Estado cede às reivindicações da categoria”

 

Após 16 dias de Greve Geral, o Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí (Sinpoljuspi) decidiu em Assembleia pela suspensão do movimento na última terça-feira, 26/09. Intermediado pelo Tribunal de Justiça do Piauí, o governo do Estado fez acordo e apresentou propostas concretas em relação às pautas de reivindicação da categoria.

O presidente do Sinpoljuspi, José Roberto, afirmou que o movimento teve força devido à adesão de um grande número de agentes penitenciários que acreditaram que esta seria a saída para a conquista de melhores salários e condições de trabalho

“A categoria mostrou ao governo e a toda sociedade que os agentes merecem respeito. Estaremos sempre abertos ao diálogo e nossa luta seguirá respeitando os princípios constitucionais e a garantia dos direitos”, afirmou o presidente.

Segundo o presidente do sindicato, caso o Governo do Estado não cumpra o acordo firmado judicialmente, os agentes penitenciários retomarão o movimento grevista.

No acordo, o Governo comprometeu-se com o reajuste salarial em 2018, além de melhorar a estrutura de trabalho com a aquisição de novas viaturas, pistolas, carteiras funcionais, coletes balisticos e munições, entre outros itens. Outra reivindicação acordada foi a realização de um curso de formação de agentes para os servidores que a partir do novo concurso ingressarem ao sistema penitenciário.