compartilhe>

 

O Governo de Mato Grosso, através da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos, admitiu que houve falhas de segurança na fuga de 34 presos da Cadeia Pública de Poconé (104 quilômetros da Capital) na quarta-feira (15). Na unidade prisional, atuam 16 agentes com plantão de 24 horas e folga de 72 horas, porém no dia da fuga apenas 2 estavam trabalhando. 

 

Entenda o caso

No dia 15 de novembro o Estado do Mato Grosso presenciou a fuga de 34 apenados da Penitenciária de Ponconé. Câmeras de segurança filmaram a dura situação vivida por dois agentes penitenciários durante o plantão, enquanto recolhiam os presos do banho de sol, serem gravemente agredidos por dezenas de presos em fuga. Explodiram o muro, saíram e roubaram armas e munições. Destes, 19 foram recapturados.

Entretanto a questão mais delicada neste caso é que num plantão onde deveriam trabalham 16 agentes, apenas dois estavam de plantão. É considerado que lutaram por suas vidas e mais uma vez demonstrada as péssimas condições do sistema prisional mato grossense, carente de infraestrutura e novas contratações.

Cobertura completa:

https://news.google.com/news/story/http%3A%2F%2Fwww.folhamax.com.br%2Fpolicia%2Fdetento-que-fugiu-de-cadeia-em-mt-e-recapturado-na-casa-da-namorada%2F145366?hl=pt

 

 

 

 

 

 

http://odocumento.com.br/noticiaspolicia-cidades/governo-reconhece-falha-na-fuga-em-massa-da-cadeia-publica-de-pocone,26701

 

 

Uma cadeia pública superlotada. Um local construído há muitos anos atrás para abrigar apenas 20 presos, mas que estava com 85 homens – mais de quatro vezes de sua capacidade. Homens praticamente enjaulados, amontoados uns sobre os outros em local sem um mínimo de segurança.

Por volta das 17 horas desta quarta-feira, 17, oficialmente 34 presos fugiram das celas da Cadeia Pública da cidade de Poconé. Para especialistas em segurança pública, a fuga estava “anunciada” para acontecer a qualquer momento.

No momento da fuga em massa, apenas um agente prisional fazia a segurança no local, quando seriam necessários, segundo especialistas em segurança pública, pelo menos seis agentes internos por plantão, com apoio de policiais militares externos.

 

Leia a matéria:

https://www.24horasnews.com.br/noticia/um-agente-para-segurar-85-presos-enfurecidos-resultado-uma-fuga-em-massa-e-violenta.html

Fonte: 24horasnews.com.br

 

 

 

Com o título A tensa batalha de carcereiro para se salvar de ataque de preso armado com faca em cadeia paulista, a BBC Brasil narra agressão sofrida por um carcereiro da Cadeia Pública de Lutécia, interior paulista.

Na matéria de Felipe Souza dá voz ao agente agredido no dia 02/11, surpreendido por um detento quando fazia a tranca da cela. A BBC teve acesso às imagens da câmera de segurança da Cadeia.

São imagens de 5 minutos de luta intensa. O funcionário perdeu parte do polegar enquanto atacado com uma faca improvisada, além de ter levado mais três golpes que lhe causaram cortes profundos, sendo que um inclusive fez com que quebrasse sua clavícula.

Leia a matéria completa:

http://www.bbc.com/portuguese/brasil-41985442

 

O secretário de Segurança Pública do Paraná, Wagner Mesquita, anunciou na manhã desta quinta-feira (16)  investimento no valor de R$ 2 milhões na reforma da Penitenciária Estadual de Cascavel (PEC), que foi palco de recente de uma rebelião.  Segundo o Departamento Penitenciário do Paraná (Depen), 70% da penitenciária foi destruída durante o motim. Desde o fim da rebelião, os detentos estão abrigados em três pátios sob fiscalização de policiais militares e agentes do Serviço de Operações Especiais (SOE) do Depen.

Leia a matéria completa:

http://www.bemparana.com.br/noticia/537777/secretaria-de-seguranca-anuncia-medidas-para-penitenciarias-no-parana

Fonte: Bem Paraná