compartilhe>

Sindicato entrou com ação de interpelação pedindo retratação, esclarecimento das acusações, exclusão dos vídeos e indenização por danos morais coletivos por ofensa à honra e à imagem dos agentes penitenciários; sites divulgam afastamento de Rachel Sheherazade como apresentadora do SBT Brasil

 

Por Flaviana Serafim

O Departamento Jurídico do SIFUSPESP entrou com ação de notificação e de interpelação no último dia 5 contra a jornalista Rachel Sheherazade, na Vara Cível do Foro de Barueri, onde reside a profissional. 

A ação cobra que a jornalista faça retratação das declarações e que preste esclarecimentos sobre as acusações feitas contras os agentes penitenciários no canal de Sheherazade pelo YouTube, bem como a exclusão dos vídeos e pagamento de indenização por danos morais coletivos. Ações semelhantes estão sendo movidas pela Federação Nacional Sindical dos Servidores Penitenciários (Fenaspen) e os demais sindicatos da categoria em todo o país. 

Para acompanhar a tramitação do processo, basta acessar o site do Tribunal de Justiça clicando aqui e o link direciona para a página da ação.   

A pressão e ação em rede pela categoria e o SIFUSPESP, unido à Fenaspen e ao conjunto dos sindicatos dos servidores, parece já ter dado resultados: a jornalista Rachel Sheherazade não vai mais apresentar o telejornal SBT Brasil a partir desta sexta-feira (9). 

Segundo informações do Notícias da TV - um dos vários sites que divulgam o afastamento, Sheherazade acabou punida depois que queixas sobre as declarações da jornalista nas redes sociais chegaram à direção da emissora - entre os casos, o da ofensa à imagem e à honra dos agentes penitenciários, que foram atacados e acusados pela profissional nos vídeos “Monstros contra monstros” e “Joio e trigo”. 

A reportagem do Notícia da TV explica que o SBT foi procurado pelo SIFUSPESP e que o sindicato exigiu uma nota da emissora sobre as declarações de Sheherazade - posicionamento oficial que, como prometido ao sindicato, foi encaminhado pelo Sistema Brasileiro de Televisão na terça-feira (6). No documento, a direção da emissora esclarece que entende que a liberdade de imprensa e expressão estão garantidos na Constituição, mas que não concorda com as opiniões de Sheherazade (leia a íntegra da nota).

Em meio às reações causadas por suas recentes polêmicas, Rachel também desativou temporariamente sua conta no Twitter, como explica em postagem fixada em sua página no Facebook na madrugada da quinta-feira (8). No microblog, a saída repercutiu, com várias postagens apontando a incoerência da jornalista.