compartilhe>

Em exibição na 43ª Mostra de Cinema Internacional de São Paulo, documentário mostra o cotidiano do trabalho dos servidores penitenciários; próximas sessões ocorrem nos dias 27 e 30/10 na capital paulista

O lançamento do documentário “Encarcerados”, nesta quinta-feira (24), na 43ª Mostra de Cinema Internacional de São Paulo, foi marcado pela emoção dos relatos dos servidores penitenciários entrevistados. A primeira exibição, que contou com a presença do SIFUSPESP, ocorreu no  Espaço Itaú Frei Caneca, seguida de debates (confira o vídeo no final da matéria). 

O documentário foi filmado em oito penitenciárias paulistas mostrando o cotidiano de trabalho dos carcereiros, entrevistando servidores, seus familiares e também ex-detentos, para revelar a realidade do sistema prisional brasileiro que não chega na grande mídia.

Um dos entrevistados foi o agente penitenciário Domingos Dudlei Menetti, o Dominguinhos poeta. Questionado sobre o qual a parte mais difícil de enfrentar ao vivenciar a rebelião no Carandiru, em 1992, ele respondeu:

“Todas foram difíceis. Ao estar trancado numa cela, sendo ameaçado de morte por todo o tempo, lembrando que você tem família e deseja voltar para casa, a vontade de voltar para casa aumenta vezes mil. É extremamente difícil, é extremamente difícil realmente”. 

Dominguinho contou que na época “ainda engatinhava no sistema prisional”, apesar de já conhecer anteriormente essa realidade por ter parentes que trabalhavam no sistema prisional.  

Há 27 anos no sistema e prestes a se aposentar, o agente Roney Nascimento disse que o momento é histórico porque a categoria conquistou espaço e reconhecimento que não havia anteriormente. 

“Estamos vivendo um marco na carreira. Quando eu entrei, em 1993, se debatia onde seria o espaço do agente penitenciário e hoje, com muito luta, todo documentário sobre os carcereiros ajudou a mostrar o que é o trabalho do agente penitenciário. As novelas mostravam o agente penitenciário como um corrupto, ou idiota ou agressor, e não mostrava realmente o nosso trabalho no dia a dia”, afirmou. 

Nascimento disse ainda que se sente “feliz porque estamos deixando um legado para a rapaziada nova que está chegando. Hoje a Câmara dos Deputados aprovou a redação da PEC para criar as polícias penais, e fico emocionado de estar aqui hoje, de poder fazer parte dessa história. Feliz de poder deixar um legado para os mais que jovens que vão trabalhar no sistema prisional”. 

O documentário tem direção de Pedro Bial, Claudia Calabi, Fernando Grostein Andrade e roteiro de Joaquim Salles. 

Confira os próximas dias e locais de exibição:

27/10 (domingo) - 13h30 - Espaço Itaú de Cinema (Frei Caneca 5)
Endereço: Shopping Frei Caneca - R. Frei Caneca, 569 - Consolação

30/10 (quarta-feira) - 14h - Instituto Moreira Salles
Endereço: Av. Paulista, 2424 - Consolação

Classificação etária: 14 anos