compartilhe>

Unidade prisional não conta com muros nem com trabalho de AEVPs, o que facilita evasões

por Giovanni Giocondo

Com ajuda externa, dois presos conseguiram fugir do Centro de Progressão Penitenciária(CPP) de Porto Feliz, no interior do Estado, nesta segunda-feira(29). As informações foram divulgadas pela Secretaria de Administração Penitenciária(SAP).

A fuga aconteceu após os detentos romperem o alambrado de proteção superior de um dos alojamentos, subirem na laje, alcançarem a tela que limita a área da unidade e pularem  para a rua. Um carro aguardava pela dupla do lado de fora da unidade e facilitou a evasão.

Um agente de segurança penitenciária(ASP) viu a movimentação e conseguiu alertar os demais funcionários sobre a fuga, mas apesar das buscas feitas pelos servidores e posteriormente pela polícia militar, até o momento nenhum dos sentenciados foi encontrado.

O caso do CPP de Porto Feliz é comum em unidades de regime semi-aberto no Estado de São Paulo. Com alambrados no lugar de muros, se tornam alvos fáceis tanto daqueles que querem sair quanto de criminosos que arremessam objetos ilícitos para dentro.

Simultaneamente, não contam com o apoio fundamental dos agentes de escolta e vigilância penitenciária(AEVPs). Esses profissionais, armados e com atenção redobrada sobre as muralhas, flagram qualquer movimentação suspeita e as impedem, caso necessário.

O SIFUSPESP segue pleiteando junto à SAP a instalação de muralhas e a nomeação de novos AEVPs para atuar nos Centros de Progressão Penitenciária com o objetivo de melhorar a segurança das unidades.