compartilhe>

Conforme assessoria de imprensa da Secretaria da Administração Penitenciária (SAP), ocorreram tentativas de entrada de drogas, celulares, entre outros da parte de visitantes, nos casos abaixo, o último final de semana, 04 e 05 de Maio. Durante o procedimento de visitas, algumas vezes com o auxílio de scanner corporal, agentes penitenciários conseguiram impedir a entrada desses materiais. É necessário dizer que este trabalho vai além da observação de imagens em scanners - o que para realizar é necessário treino e experiência, além da especializada observação de comportamento dos visitantes no momento da entrada. Agentes, devido a experiência de constante observação, reconhecem trejeitos e palavras utilizadas para tentar distrair o procedimento de revista. É um trabalho especializado "informalmente" e pouco reconhecido.

 

Praia Grande

Na Baixada Santista, uma jovem de 20 anos foi barrada ao tentar entrar com 11 g de cocaína e 3g de maconha no Centro de Detenção Provisória “ASP Charles Demitre Teixeira”, o CDP de Praia Grande. A droga estava em invólucros escondidos na barra do cobertor que envolvia seu filho, um bebê de um ano. O material foi encontrado pelos servidores da unidade ao revistarem os itens da visitante.

 

Irapuru:

Na Penitenciária de Irapuru, ao trazer um recipiente com arroz doce para o companheiro que cumpre pena na unidade prisional, uma mulher tentava, na verdade, camuflar no alimento vários invólucros contendo cocaína.

   

São Vicente

Uma mulher de 53 anos foi surpreendida com 7g de maconha dentro de cigarros comuns que entregaria a seu companheiro, preso no Centro de Detenção Provisória “Luis César Larcerda”, o CDP de São Vicente.

Potim

Na Penitenciária II de Potim, uma mulher de 23 anos foi surpreendida com 9 g de cocaína costurados no forro da calcinha ao tentar entrar na Penitenciária II da cidade. O material foi identificado pelas agentes de segurança do presídio quando a suspeita foi revistada por meio de escaneamento corporal.

 

Caraguatatuba

Duas jovens foram barradas com drogas no Centro de Detenção Provisória “Dr. José Eduardo Martiz de Oliveira”, o CDP de Caraguatatuba. Ambas, companheiras de detentos da unidade. Uma visitante de 18 anos trazia um invólucro introduzido no corpo, retirado espontaneamente, que continha 104g de cocaína e 54g de maconha. Depois, as agentes do CDP identificaram um volume atípico na região pélvica de uma visitante. Ao ser indagada, a suspeita negou portar ilícitos e teve o processo de revista pelo escâner corporal repetido pelas servidoras, quando, então, foi comprovado que trazia um invólucro com 48g de maconha em seu corpo.

Avanhandava

Uma mulher foi flagrada tentando entrar com anotações suspeitas escondidas no forro da calcinha, durante procedimento de revista pelo escâner corporal da Penitenciária “Valdic Junio Alves Primo” de Avanhandava. Além do bilhete, os agentes apreenderam, dados e números de contas bancárias referentes ao tráfico de drogas, camuflados sob a calça da visitante.

Avaré

Uma mulher foi flagrada com 97,5g de maconha escondidas em sua genitália, durante procedimento de revista pelo escâner corporal da Penitenciária I “Dr. Paulo Luciano de Campos” de Avaré. A droga estava envolta em borracha isolante de alta fusão. Questionada, a visitante negou a irregularidade. Ela foi levada até o pronto-socorro da cidade, onde exames confirmaram a presença de objeto suspeito no interior de seu corpo.

 

Marília

Agentes de segurança da Penitenciária de Marília apreenderam 48,7g de maconha e 36,68g de cocaína com uma mulher, durante procedimento de revista pelo escâner corporal da unidade prisional. Ela escondeu a droga no sutiã. Questionada, a visitante alegou, sem dar muitos detalhes, que estava sendo obrigada a levar o entorpecente para o interior da unidade prisional.

Ourinhos

Uma mulher foi flagrada com dois maços de cigarro escondidos sob o vestido, entre os seios, durante procedimento de revista pelo escâner corporal do Centro de Ressocialização (CR) de Ourinhos. Questionada, a visitante alegou que o produto seria para uso próprio, negando, portanto, a intenção de levar os cigarros para o marido preso.

Pontal

Uma mulher foi flagrada com 12 micropontos de LSD escondidos na barra da manga da camiseta, durante procedimento de revista pelo escâner corporal do Centro de Detenção Provisória (CDP) de Pontal. Ela visitaria o marido preso.

Serra Azul

Uma mulher foi flagrada com maconha e cocaína escondidas em sua genitália, durante procedimento de revista pelo escâner corporal da Penitenciária I de Serra Azul. Questionada novamente se teria mais drogas, ela retirou 80 micropontos de LSD das meias. A visitante alegou que receberia R$ 1,5 mil para entrar com os produtos ilícitos no presídio e entregá-los para o marido da contratante, que cumpre pena na unidade.

 

Capital

Os Agentes de Segurança Penitenciária do Centro de Detenção Provisória I "ASP Vicente Luzan da Silva", de Pinheiros, surpreenderam duas visitantes. Em ambos os casos foram constatados invólucros contendo maconha, escondidos no interior do absorvente íntimo de uma das mulheres e na outra o pacote estava na vestimenta íntima.

   

Guarulhos

No Centro de Detenção Provisória I "ASP Giovani Martins Rodrigues", de Guarulhos, uma visitante foi surpreendida durante a revista manual na sacola em que portava os alimentos. Foram localizados quatro invólucros, em formato de tiras, contendo 93g de maconha, camuflados dentro da alça da sacola. Dia seguinte, outras duas apreensões. Em uma delas, a visitante estava com um invólucro que continha 143g de cocaína. Na outra abordagem, companheira de preso tentou entrar na unidade prisional com maços de cigarros contendo maconha. A substância estava camuflada dentro dos maços de cigarros, substituindo o fumo original. No Centro de Detenção Provisória de Guarulhos (CDP) II, uma visitante foi flagrada e foram encontrados no top da visitante dois invólucros contendo aproximadamente 304g de maconha. Outros 194g de maconha foram apreendidos com visitante também no CDP II. Por meio de revista pelo escâner corporal, foram apreendidos dois invólucros de maconha embutidos no sutiã da visitante.

    

Diadema

Três visitantes do Centro de Detenção Provisória de Diadema foram flagradas, com ilícitos. Em duas delas os invólucros estavam inseridos nas genitálias e continham substâncias semelhantes à maconha e à cocaína, além de comprimidos análogos à ecstasy e duas folhas supostamente de droga sintética K4. Já a terceira visitante surpreendida estava tentando entrar na unidade com duas cédulas monetárias, totalizando R$ 15,00 que estavam inseridos em seu sutiã.

     

Santo André

No Centro de Detenção Provisória de Santo André, durante procedimento de revista mecânica, o escâner corporal apontou anormalidades nas imagens de duas visitantes. Em uma delas foi constatado um volume incomum na altura da genitália da visitante. Quando encaminhada a uma sala reservada a mesma confessou estar com um aparelho de telefonia celular introduzido em seu corpo. Já na outra visitante os agentes de segurança processaram revista minuciosa no top da mulher e localizaram oculto na vestimenta a droga sintética K4.

   

São Bernardo

No Centro de Detenção Provisória "Dr. Calixto Antônio", de São Bernardo do Campo, uma mulher estava com um invólucro introduzido em sua genitália que continha um aparelho celular.

 

Franco da Rocha

Uma visitante foi surpreendia na Penitenciária II "Nilton Silva", de Franco da Rocha, ao tentar entrar na unidade prisional com aproximadamente 1g de maconha, 12 gramas de substância de cocaína e 1 pedaço de papel com suposto K4, camuflados no fundo de sua calcinha.

Parelheiros

Uma visitante tentou entrar a Penitenciária "ASP Joaquim Fonseca Lopes", de Parelheiros, com uma porção de substância análoga à droga sintética K4. A apreensão estava embutida na tampa do creme dental trazido pela mulher.

 

Junqueirópolis

Durante o procedimento de revista no setor de portaria, ao submeter a visitante de um sentenciado os servidores perceberam a presença de um objeto estranho em suas partes íntimas, porém, a visitante recusou-se a retirar espontaneamente. Desta forma, foi acionada a presença da Polícia Civil que levou a visitante em questão para realizar exame de Raios X na Santa Casa local, quando foi confirmada a presença do objeto. O material foi retirado do corpo da mulher onde constatou-se 01 (um) invólucro com substância esverdeada aparentando a entorpecente maconha.

Martinópolis

A esposa de um sentenciado tentou ingressar Na Penitenciária “Yacyan Menezes de Lucena”, com um invólucro oculto na genitália, o qual foi detectado no escaneamento corporal de revista mecânica, reconfirmado na Santa Casa da cidade por aparelho Raios X. No interior do invólucro, havia maconha

 

Lavínia

Na Penitenciária “Luiz Aparecido Fernandes de Lavínia, a PII, duas placas de aparelho micro celular entrariam no presídio escondidas em alimentos, se não fosse a intervenção de agentes penitenciários. Os objetos foram trazidos pela mãe de um sentenciado, mas descobertos durante procedimento de revista. No mesmo dia, outra visitante foi flagrada com algo suspeito na genitália, o que mais tarde constatou-se tratar de um micro celular.

 

Na Penitenciária “Paulo Guimarães de Lavínia”, a PIII, uma visitante trazia algo suspeito introduzido na genitália. No entanto, a mulher negou o fato por diversas vezes e alegou que os funcionários estariam inventando isso para prejudicá-la. Diante disso, a Polícia Militar foi acionada para acompanhar a visita até o hospital, onde ela confessou e retirou o objeto do corpo. Ao retornar à unidade prisional, o invólucro foi aberto revelando um mini celular. No dia seguinte, outra mulher foi flagrada com uma porção de cocaína, uma de maconha e vários extratos bancários escondidos no absorvente íntimo.

   

Presidente Bernardes

Na Penitenciária “Silvio Yoshihiko Honohara”, três visitantes foram flagradas durante os procedimentos de revista. Elas tentavam entrar com objetos proibidos no presídio. Duas delas portavam um aparelho celular escondido na genitália, enquanto a outra escondia cocaína dentro de uma lasanha.

  

Valparaíso

Duas mulheres foram barradas na entrada da Penitenciária de Valparaíso tentando entrar com objetos suspeitos na genitália. Tudo foi identificado pelo escâner corporal. A primeira visitante pediu para ser encaminhada à Santa Casa para realização de exame por Raios X, mas no momento em que se preparava para realizar o procedimento, tentou esconder entre as roupas um invólucro com um aparelho celular. A outra mulher confessou na unidade prisional que trazia também um celular oculto nas partes íntimas.

  

Assis:

Na Penitenciária de Assis, duas Agentes de Segurança Penitenciária, ao realizar os procedimentos rotineiros de revista em visitantes, constataram que havia mensagens escritas no lado interno da roupa da visitante com contabilidade e informações sobre dívidas.

Mirandópolis:

Na Penitenciária “Nestor Canoa’’, durante a realização de procedimento de revista corporal, foi constatada a presença de objeto estranho no corpo de uma visitante, companheira de um sentenciado. Após ser indagada pelas agentes penitenciárias, mulher afirmou se tratar de entorpecente adquirido na cidade de São Paulo e, de livre e espontânea vontade, retirou o invólucro que estava escondido no interior de sua genitália.

Nova Independência

No Centro de Detenção Provisória de Nova Independência, uma mulher tentou burlar a segurança para entrar no presídio com vestes que continham mensagens e números escritos. Foi instaurado Procedimento Disciplinar para apurar eventual cumplicidade por parte do sentenciado que seria visitado, o qual se encontra isolado preventivamente.

Americana

No Centro de Detenção Provisória de Americana, visitantes pretendiam entregar drogas aos companheiros, mas foram impedidas. Na primeira apreensão, a mulher demonstrou nervosismo, mas ao ser questionada assumiu que estava com drogas escondida no absorvente. Ela retirou, espontaneamente, o material e agentes constataram que se tratava de 34g de cocaína e 15g de maconha. No segundo flagrante, outra mulher foi surpreendida com um invólucro escondido na genitália. Ao ser questionada sobre a imagem, a princípio ela negou que estivesse com ilícitos, mas em seguida, assumiu que pegou o material com uma pessoa desconhecida e receberia a quantia de R$ 800 para entregar a droga ao seu companheiro. De acordo com informações da unidade prisional, a visitante havia colocado no corpo 70g de maconha e 50 micropontos de LSD.

   

Hortolância

Durante o procedimento de revista no Centro de Detenção Provisória de Hortolândia (CDPH), uma visitante com 100 micropontos de LSD escondidos no cós da calça. A suspeita tentou se livrar do entorpecente jogando o saquinho no lixo, mas os agentes perceberam a ação.

Campinas

No Centro de Detenção Provisória (CDP) de Campinas uma mulher foi pega escondendo 114g de maconha na genitália. Imagem produzida pelo escâner corporal mostrou alteração na região pélvica da suspeita, que a princípio negou que estivesse tentando burlar as regras da unidade prisional, mas ao continuar sendo interrogada acabou confessando que estava com a droga e que pretendia entregar ao companheiro.

Piracicaba

Uma mulher foi flagrada no Centro de Detenção Provisória (CDP) "Nelson Furlan", de Piracicaba, durante o procedimento de revista, agentes perceberam alteração na região pélvica dela. Ao ser questionada, ela disse que havia colocado maconha no forro da calcinha. Após a confissão, ela retirou o entorpecente e agentes constatam que havia 56g do entorpecente. Já na Penitenciária de Piracicaba, uma mulher foi detida durante o procedimento de revista, com 122 g de maconha na genitália. O flagrante ocorreu depois que a agente percebeu, que havia irregularidade na suspeita. A mulher disse que pretendia entregar a droga ao companheiro.

  

 

 

Fonte: http://www.sap.sp.gov.br/noticias/pauta-07-05-19-2.html#top

Fotos: Divulgação SAP