compartilhe>

No últimos sábado e domingo, dias 19 e 20 de Janeiro, as ocorrências foram diversas, entretanto os trabalhadores penais, utilizando da expertise adquirida no dia a dia, por observação de comportamentos suspeitos, em algumas unidades com auxílio do aparelho de scanner corporal, obtiveram êxito no procedimento de revista.

Ao contrário do que pensa o senso comum, esta não é uma tarefa fácil de ser realizada. Assim como o scanner não substitui o trabalho de inteligência e perspicácia para o cumprimento da operação. Além disso, com a superlotação das unidades, o número de visitantes é absurdo e o déficit funcional é um fator agravante.

Desta maneira, o SIFUSPESP exalta os funcionários do sistema prisional paulista pela realização deste trabalho. Parabéns aos guerreiros!


Segue abaixo os destaques das apreensões:

Criminosos tentaram arremessar celulares e drogas no Centro de Progressão Penitenciária (CPP) de Mongaguá;

No CPP de Valparaíso, visitante foi barrada tentando entrar com pacotes de chocolate “Bis” e de bolachas recheadas de maconha;

Em Guarulhos, na Penitenciária I “José Parada Neto”, agentes flagraram visitante com maconha escondida dentro de um pedaço de linguiça;

E para encerrar, foram apreendidos bife à rolê recheados com placa de celular com visitante que tentava entrar em presídio de Lavínia .

 

Região Metropolitana de São Paulo

Pinheiros I 

Os agentes de segurança do Centro de Detenção Provisória (CDP) “ASP Vicente Luzan da Silva” de Pinheiros I impediram a entrada de maconha, cocaína e ecstasy que estavam com uma visitante, logo após a mulher passar por revista no scanner corporal e ser visto nas imagens do aparelho anormalidade na região genital e na altura dos seios da mesma. Retirou de sua calcinha três pacotes com entorpecentes, dois com maconha e um com 150 comprimidos de ecstasy. Em seu corpo a mulher também levava um invólucro cocaína. 

Guarulhos

Nas penitenciárias I “José Parada Neto”, II “Desembargador Adriano Marrey” e no Centro de Detenção Provisória (CDP) “ASP Giovani Martins Rodrigues”, foram realizadas apreensões de ilícitos durante o final de semana de visitas.

Na Penitenciária I “José Parada Neto”, foi observado na sacola de alimentos levada por uma senhora substância característica à maconha, escondida dentro de um pedaço de linguiça. O entorpecente foi encontrado durante o procedimento de revista dos alimentos.

Na Penitenciária II “Desembargador Adriano Marrey”, a apreensão realizada pelos agentes de segurança foi de haxixe e maconha, que estavam escondidos no corpo de uma visitante. Os invólucros com os entorpecentes foram vistos a partir de revista no scanner corporal.

Os agentes do CDP Guarulhos I, encontraram um aparelho celular no bolso interno de uma sacola levada por visitante. Ao ser questionada a mulher disse não saber que o aparelho estava lá, pois havia pegado emprestada a sacola. O celular foi detectado nas imagens do Raio-X.

Diadema

Duas ocorrências de apreensão foram registradas, no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Diadema. Os flagrantes aconteceram após as visitantes passarem por revista no scanner corporal, que mostrou em suas imagens anormalidade na região do cós da calça das mulheres.

Estavam escondidas maconha, cocaína e estimulante sexual. Após entregarem os entorpecentes às autoridades responsáveis.

Franco da Rocha

Uma visitante da Penitenciária I “Mário de Moura e Albuquerque”, de Franco da Rocha, tentou entrar na unidade com maconha escondida em sua meia. Ao visualizarem pelo scanner corporal uma anormalidade nos pés da visitante, os agentes pediram que a mulher retirasse a meia para que fosse revistada e no ato a mesma tentou esconder a porção do entorpecente no cobertor da filha. 

 

Vale do Paraíba e Litoral

São Vicente

Na Penitenciária “Dr. Geraldo de Andrade Vieira”, a P1 de São Vicente, um homem de 67 anos foi surpreendido com 418 gramas de maconha em quatro pacotes escondidos na cueca. O flagrante foi feito quando os servidores analisaram as imagens geradas pelo scanner corporal.

Na Penitenciária 2 de São Vicente, as servidoras perceberam um volume atípico na região das nádegas de uma visitante de 39 anos. Ao ser submetida ao aparelho de escaneamento corporal, foi confirmada a presença de dois invólucros na calcinha da suspeita, mãe de um sentenciado do presídio. A mulher escondeu 200 gramas de cocaína e 106 gramas de maconha nos enchimentos da peça íntima.

 

Região Noroeste

Araraquara

Uma mulher foi flagrada tentando entrar com um aparelho celular no Centro de Ressocialização (CR) Feminino de Araraquara. O objeto estava na sacola da visitante. Ao ser questionada, a ela disse que sua neta brincava com o telefone antes do procedimento de revista e supostamente o teria guardado na bolsa, sem que ela percebesse.

Avaré

Um mulher foi flagrada com uma porção de maconha escondida no forro da calcinha, durante procedimento de revista realizado na Penitenciária “Nelson Marcondes do Amaral” (P II) de Avaré. Alertada que seria submetida ao escâner corporal, a mulher acabou confessando que tentava entrar no presídio com droga, cujo peso total contabilizou 8,2 gramas.

Pontal

O Centro de Detenção Provisória (CDP) de Pontal registrou três flagrantes,de visitantes tentando entrar com droga na unidade prisional. As apreensões chamaram atenção pelo modo de ação: em todos os casos, os entorpecentes foram localizados ocultos no forro da calcinha, após inspeção pelo escâner corporal.

Entre os materiais ilícitos apreendidos, havia porções de maconha e de cocaína, além de 49 pontos de LSD.

Ribeirão Preto

Os agentes de segurança do Centro de Detenção Provisória (CDP) de Ribeirão Preto foram quatro flagrantes: três visitantes tentando entrar na unidade com maconha na genitália e um homem com fone de celular no bolso da calça.

Este último, que visitaria o seu irmão preso, alegou que havia esquecido de tirar o objeto de sua vestimenta antes de entrar no presídio. 

Já nos casos de apreensão de droga, as três visitantes foram flagradas em procedimento de revista no escâner corporal. Uma delas levava 138 gramas de maconha na genitália, outra 160 gramas e a terceira, 195 gramas.

Serra Azul

Agentes de segurança do Centro de Detenção Provisória (CDP) de Serra Azul impediram a entrada de uma faca na unidade, durante procedimento de revista.

Uma mulher foi flagrada com a faca, medindo 21 centímetros, escondida em uma vasilha de frutas. Questionada, a visitante disse que havia esquecido o objetivo no recipiente, após ter descascado as frutas que levaria para o seu companheiro.

O escâner corporal da Penitenciária I de Serra Azul atestou positivo para objeto suspeito escondido na região do quadril de uma das visitantes. Após o flagrante, ela foi encaminhada para um banheiro e, na presença de agente feminina, concordou em retirar a maconha escondida em seu corpo, acondicionada em uma fita adesiva.

 

Região Central

Americana

Uma mulher de 26 anos foi barrada no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Americana, tentando entrar com maconha escondida na roupa. No momento em que a suspeita passou pelo scanner corporal, agentes perceberam que havia alteração na barra da calça dela. Quando ela foi questionada, demostrou nervosismo e acabou confessando que o seu companheiro havia pedido para que ela levasse o entorpecente para ele.

Itirapina

Uma mulher foi flagrada tentando entrar na penitenciária ‘João Batista de Arruda Sampaio’, Itirapina II, durante o procedimento de revista. Ela pretendia visitar o companheiro, mas quando passou pelo scanner corporal e os agentes perceberam que havia alteração nas imagens. A visitante negou que estivesse com algo ilícito e teve que passar pelo procedimento de segurança outra vez. Diante dos fatos, ela acabou confessando que estava com um aparelho micro celular na genitália.

 

Região Oeste

Valparaíso

A companheira de um sentenciado do Centro de Progressão Penitenciária de Valparaíso foi barrada após agentes penitenciários encontrar, em meio aos alimentos trazidos por ela, pacotes de chocolate “Bis” e de bolachas recheadas de maconha, pesando aproximadamente 750 gramas.

Lavínia

Ao passar por revista os alimentos trazidos para sentenciados durante as visitas, agentes penitenciários da Penitenciária “ASP Paulo Guimaraes” de Lavínia (PIII), encontraram irregularidades com duas mulheres. No primeiro caso, ocorrido no sábado, uma vasilha plástica contendo bife à rolê encondia 03 (três) placas de celular, as quais foram identificadas pelo aparelho de raios-X. No domingo, outra tupperware foi interceptada contendo maconha, em meio aos alimentos.

Uma visitante se submeteu a procedimento de revista pelo aparelho scanner corporal na Penitenciária “Vereador Frederico Geometti” de Lavínia (PI), foi notado a presença de objeto ilícito em seu corpo. Ao ser questionada, afirmou que trazia um micro aparelho de telefonia celular para seu companheiro. 

Pacaembu

Ao passar pela revista mecânica de praxe, a fim de entrar na Penitenciária “Osias Lúcio Dos Santos” de Pacaembu para visitação, duas mulheres foram flagradas com invólucros inseridos na genitália. Um deles continha cocaína, e o outro continha 01 (um) celular. Uma terceira pessoa do sexo feminino trouxe (03) três pacotes de bolachas contendo maconha.

Junqueirópolis

Durante os procedimentos de revista junto ao setor de portaria da Penitenciária de Junqueirópolis, uma visitante de preso foi flagrada com um invólucro escondido nas partes íntimas contendo pedaços de folhas brancas aparentando a droga sintética k4. 

Martinópolis

Duas mulheres cadastradas como companheiras de sentenciados tentaram ingressar na Penitenciária “Tacyan Menezes De Lucena” de Martinópolis cada qual com um invólucro inserido na genitália ocultando, respectivamente, um micro aparelho de telefonia celular e uma porção de pasta base de cocaína. 

Flórida Paulista

Durante os procedimentos de revista no setor de portaria da Penitenciaria de Flórida Paulista, duas visitantes foram flagradas pelo aparelho scanner corporal tentando adentrar a unidade prisional com objetos estranhos inseridos no corpo, onde escondiam cada qual 01 (um) micro celular introduzido no órgão genital. 

São José do Rio Preto

No momento em que a companheira de um sentenciado passava pelo scanner corporal para revista mecânica no Centro de Detenção Provisória de São José do Rio Preto, o aparelho identificou nas imagens geradas um volume estranho na genital da mulher. Ao ser questionada, ela confessou que trazia uma porção de entorpecente maconha escondida na peça íntima, o que foi comprovado depois. 

Tupi Paulista

A mãe de um sentenciado foi impedida de entrar na Penitenciária de Tupi Paulista após agentes descobrirem que ela trazia maconha no fundo da calcinha, o que foi observado durante passagem pelo scanner corporal.

 

Leia a matéria:

http://www.sap.sp.gov.br/noticias/pauta-22-01-19.html#top