compartilhe>

Coronel Restivo recebe com pressa comitiva representativa de toda a categoria

 

O dia 23 de janeiro foi marcado por uma importante assembleia de nossa categoria. Enquanto Dória encontrava-se apresentando como Governador que tem um mapa claro de tudo que pode vender e negociar na Suíça, a categoria junto a seu sindicato de luta, o SIFUSPESP, fez-se presente em uma ação política sem disfarces. A convocatória da categoria foi bastante bem recebida. O secretário da SAP deverá cohabitar em um ambiente, que apesar de lhe parecer tranquilo, em verdade conta com apoio muito forte de uma categoria que repudia medidas que lhe impõem uma faca no pescoço de cada um. Ninguém quer a privatização e tais políticas da forma como estão sendo conduzidas não fortalecerão o governo.

Nossa reunião iniciou-se às 15 horas em nossa sede em São Paulo, representantes de diferentes setores da categoria, de todo o estado se fizeram presente. A diretoria do SIFUSPESP em unidade conduziu a atividade debatendo temas econômicos e demonstrando as verdadeiras razões da política hostil e publicitária do governo do Estado.

Leia mais sobre discurso publicitário na gestão da política e o uso da imprensa como ferramenta em: https://www.sifuspesp.org.br/noticias/6352-porque-toda-a-imprensa-tem-dado-como-certa-a-privatizacao-com-o-argumento-de-o-setor-empresarial-e-mais-eficiente

 

A categoria tem clareza dos tempos difíceis, mas o servidor penitenciário é feito por um tipo de cidadã e cidadão muito particular, percebe robôs e gravações fake circulando na rede tentando dividir a categoria entre seus setores de trabalho através de rivalidades. Percebe que quando temos uma atitude clara de enfrentamento, não temos a mesa previamente preparada. Também nota cortes e vetos de direitos a servidores de nossa secretaria, mas também de nossos irmãos policiais. A segurança pública é sempre objeto de sensacionalismo e ataques. Divide opiniões, mas as pessoas que ali estão, são como o velho pai, ou a velha mãe, forjados na dificuldade de tempos difíceis, capazes de dar a vida por seus filhos.

Sobre a ameaça a estabilidade e visão de negócios no espaço público veja:  https://www.sifuspesp.org.br/noticias/6361-visao-negocial-gera-bem-publico-e-protege-a-populacao 

 

Hoje, após o ato, sabemos o potencial de lutarmos juntos a unidos, apoiando e apoiados por companheiros de toda a Segurança Pública.

Leia mais e veja como nossa equipe de trabalho foi formada neste dia: https://www.sifuspesp.org.br/noticias/6363-se-privatizar-o-sistema-vai-parar

 

Nós estamos preparados, não tenham dúvida. Unam-se da forma como puderem ao seu sindicato. Lutemos por uma Lei Orgânica que favoreça a modernização do sistema penitenciário com inteligência e reinserção. Mas principalmente com o orçamento que pretendem usar para pagar as empresas privadas neste negócio público que se apresenta como certo. Não, não é certo. Pelo menos esta foi a declaração do Secretário da SAP, Coronel Restivo.

 

Após reunião com secretário da SAP, aparentemente marcada às pressas antes do Ato Contra a Privatização que aconteceria às 19h, a posição do SIFUSPESP continua sendo a mesma, uma posição oficial que às vezes é confirmada e às vezes contrariada pelo Governador João Dória.

 

O secretário mostrou-se impreciso e o sindicato representando a categoria de todos os funcionários do sistema prisional, incluindo todas as áreas (operacionais, área meio, ASPs, AEVPs), obteve como única resposta dada foi marcar uma segunda reunião para o dia 04/02. Se parece pouco, ao menos esta parece ser uma resposta que não foi previamente preparada.

 

Até lá, a postura dos trabalhadores deve ser a mesma, continuaremos enrijecidos perante tantas declarações pejorativas dadas pelo governador João Dória desde os primeiros dias de governo e a precisa decisão de privatização do sistema prisional paulista.

 

O SIFUSPESP aguarda a resposta do secretário em relação a pauta, mas ainda com a bandeira levantada: Se privatizar o sistema vai parar! O grito de guerra veio da categoria, não  foi imposto pelo sindicato. Nossa forma de convencer é regida por outro tipo de relação, com respeito e igualdade entre cada um de seus membros, somos todos iguais, no calor insuportável ou em meio a chuva repentina. Não desistiremos, e temos muitas ferramentas com que contar. As ações têm sido decorrência de organização e união.

 

Mais que nunca, a categoria avança em sua compreensão da realidade. Aqueles que ousarem favorecer discursos fora da realidade e com sentido meramente marketeiro sucumbirão, pelas respostas de cada um de nós. Sabemos disso, em nosso dia dia, e também nas redes sociais. Somos como uma família meio espalhafatosa, briguenta, mas nossa casa defendemos com corações, cabeças e punhos.

O sindicato somos todos nós unidos e organizados.