compartilhe>

Após passar anos sob forte angústia e afastamento do trabalho, Crystiano da Fonseca(no centro da foto, de quimono azul) retomou atividades laborais e foi coroado com destaque internacional no esporte em 2019

 

por Giovanni Giocondo

No próximo domingo (28), o agente de escolta e vigilância penitenciária (AEVP) Crystiano Távora da Fonseca, de 41 anos, inicia um novo desafio em sua vida. É o mundial de jiu-jitsu, que acontece no ginásio do Ibirapuera, zona sul de São Paulo, e para o qual o servidor se classificou graças ao vice-campeonato brasileiro na categoria Master 3. 

Mas até chegar a esse patamar, a vida de Crystiano passou por grandes dificuldades, felizmente agora superadas. 

Formado na primeira turma de AEVPS, em 2002, o servidor foi aprovado no concurso com uma das melhores notas e terminou o curso de formação com a nota mais alta, tornando o primeiro agente a escolher vaga na região onde trabalharia, no litoral do Estado. 

Na sequência, Crystiano executou todos os cursos profissionalizante disponíveis para a carreira dentro da Secretaria de Administração Penitenciária (SAP), além de investir em outros, que o projetaram à ascensão no trabalho.

No entanto, a partir de uma série de problemas pessoais, laborais e familiares, o AEVP acabou caindo na depressão, sofrendo também de transtorno do estresse pós-traumático (TEPT) - um distúrbio da ansiedade provinda dum conjunto de sinais e sintomas físicos, psíquicos e emocionais - em decorrência de o servidor ter sido submetido a situações violentas, o que provocou seu afastamento por um longo período do trabalho nas muralhas.

Foram no total sete anos de licença, incluindo ciclos de medicações fortes e muita angústia. O retorno ao trabalho e à realidade só aconteceu em fevereiro deste ano. “Com ajuda de Deus, da família e dos profissionais, mudei o rumo da minha história e venho reagindo e buscando, dia a dia, maneiras de equalizar meus desafios, com vitórias”, pondera Crystiano. 

A mais recente foi no esporte, onde com apenas seis meses de prática, ele obteve o vice-campeonato brasileiro de Jiu-Jitsu, no final de junho. Neste domingo, com a disputa do mundial, se completa uma verdadeira revolução no cotidiano desse agente, e para muito melhor.

O campeonato é o mais novo desafio, e muitos ainda hão de vir para este agente que acredita que “por fim, a vida é uma constante para frente e para o alto, e que não há mal que dure pra sempre. Sei que consigo mais, todos nós podemos”, ressalta Crystiano.