compartilhe>

No últimos sábado e domingo, dias 16 e 17 de Janeiro, as ocorrências foram diversas, entretanto os trabalhadores penais, utilizando da expertise adquirida no dia a dia, por observação de comportamentos suspeitos, em algumas unidades com auxílio do aparelho de scanner corporal, obtiveram êxito no procedimento de revista.

Ao contrário do que pensa o senso comum, esta não é uma tarefa fácil de ser realizada. Assim como o scanner não substitui o trabalho de inteligência e perspicácia para o cumprimento da operação. Além disso, com a superlotação das unidades, o número de visitantes é absurdo e o déficit funcional é um fator agravante.

Desta maneira, o SIFUSPESP exalta os funcionários do sistema prisional paulista pela realização deste trabalho. Parabéns aos guerreiros!

 

Segue abaixo os destaques das apreensões:

Em Hortolândia uma mulher foi pega pelos agentes escondendo LSD no fundo da calcinha que usava;

Em Lavínia Filé à parmegiana recheado com placas de celular.

 

Região Metropolitana de São Paulo

Vila Independência

No Centro de Detenção Provisória (CDP) de Vila Independência, a companheira de um preso foi surpreendida em revista no aparelho escâner corporal com 5,2g de maconha na barra de sua calça.

Pinheiros I

No Centro de Detenção Provisória (CDP) “ASP Vicente Luzan da Silva” Pinheiros I, a mãe de um preso tentou entrar na unidade levando um pacote de maconha escondido em sua blusa de moletom. O material foi observado pelos servidores de plantão após a visitante passar por revista no aparelho escâner corporal.

Guarulhos

No CDP “ASP Giovani Martins Rodrigues”, de Guarulhos I, agentes penitenciários encontraram, duas mulheres escondendo 27 tiras de papel branco no elástico de cabelo de uma delas e um invólucro contendo 35g de maconha e 53g de cocaína. A identificação foi por meio do escâner corporal.

Guarulhos II

no CDP Guarulhos II, uma visitante escondia na barra da calça quatro pacotes contendo maconha, um pacote com cocaína e um pacote com haxixe. As drogas foram vistas após revista no escâner corporal.

Franco da Rocha

Na Penitenciária III “José Aparecido Ribeiro, duas visitantes foram pegas com maconha e cocaína escondidas na região de suas cinturas. As apreensões aconteceram após elas serem submetidas ao aparelho de escâner corporal.

Centro de Progressão Penitenciária

Já no CDP de Franco da Rocha, o flagrante apreendeu maconha e cocaína que estavam escondidos na genitália da visitante da unidade. 

Diadema

No Centro de Detenção Provisória (CDP) de Diadema, agentes apreenderam invólucros contendo maconha e cocaína com duas visitantes da unidade. Nos dois casos, as mulheres escondiam os ilícitos na genitália e foram descobertas após passarem pelo escâner corporal.

São Bernardo do Campo

Agentes de segurança do Centro de Detenção Provisória (CDP) conseguiram impedir a entrada de visitantes com ilícitos na unidade. Dois casos aconteceram quando visitantes estavam com mini celulares escondidos em seus corpos. Uma delas também levava maconha dentro de sua roupa íntima. Em outros casos, uma das pessoas mantinha celular na genitália, enquanto a outra estava com maconha e cocaína escondidas em seu corpo.

Osasco

Um cigarro de maconha foi encontrado, dentro de uma mochila com roupas de criança que estava sendo levada pela companheira de um preso no Centro de Detenção Provisória (CDP) O caso ocorreu no Centro de Detenção Provisória (CDP) “ASP Vanda Rita Brito do Rego” de Osasco II.

 

Região Noroeste

Avaré

A Penitenciária “Dr. Paulo Luciano de Campos” (P I) registrou três flagrantes durante o final de semana. Em dois casos, mulheres foram pegas escondendo porções de maconha na genitália– uma delas levava ao menos 133,7 gramas do entorpecente. Uma mulher tentou entrar na unidade prisional com 172,8 gramas de maconha e 79,4 gramas cocaína, em porções também escondidas em sua genitália.

Marília

Na Penitenciária de Marília, uma visitante foi flagrada tentando entrar com 144,66 gramas de maconha e 103,39 gramas de cocaína escondidas na genitália, durante procedimento de revista pelo escâner corporal. Após ser descoberta, a visitante foi levada para uma sala reservada, onde, na companhia de agentes femininas, concordou em retirar as porções da droga de sua genitália.

Ribeirão Preto

Uma mulher foi flagrada tentando entrar com uma porção de maconha escondida no corpo, na Penitenciária de Ribeirão Preto. A droga, acondicionada em uma fita adesiva, foi descoberta durante procedimento de revista pelo escâner corporal.

Taiúva 

Agentes penitenciários impediram uma mulher de entrar no dia da visita com 38,82 gramas de maconha no Centro de Detenção Provisória (CDP). Ela escondeu as porções de maconha no corpo. O flagrante foi por meio do aparelho de escâner corporal.

 

Região Central

Sorocaba

Uma mulher de 28 anos foi detida no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Sorocaba, após passar pelo procedimento de revista e do scanner corporal. Foram detectadas, em suas partes íntimas, 80 gramas de maconha.

Itirapina

Durante o procedimento de revista, uma mulher foi flagrada na penitenciária “João Batista de Arruda Sampaio”, Itirapina II, com 116 gramas de maconha ocultadas na genitália. O flagrante ocorreu após os agentes penitenciários perceberem alterações nas imagens produzidas pelo escâner corporal.

Hortolândia

Na Penitenciária III de Hortolândia, servidores flagraram uma visitante tentando levar ao marido, em dia de visita, um invólucro de maconha dentro do top que vestia. O flagra foi feito quando a moça passou pelo equipamento de escâner corporal. Na mesma ocasião, outra mulher foi pega pelos agentes escondendo LSD no fundo da calcinha que usava.

 

Região Oeste

Dracena

Agentes da Penitenciária "Asp Adriano de Pieri" localizaram com uma mulher, vários manuscritos com informações relacionados a sentenciados. Ela aparentou nervosismo ao passar pelo setor de visitas e foi prontamente interceptada por uma das funcionárias do setor, que percebeu um certo volume em suas vestes e solicitou para que a mesma lhe dissesse o que escondia.

A visitante foi para um local reservado e retirou os papéis de seu corpo.

Andradina

Na Penitenciária "Asp Anísio Aparecido de Oliveira", uma visitante foi submetida ao equipamento de escâner corporal e acabou flagrada com algo estranho na altura da sua genitália, onde após ser questionada pela servidora da unidade, entregou espontaneamente uma substância esverdeada supostamente "maconha".

Junqueirópolis

Durante o procedimento de revista, na Penitenciária de Junqueirópolis, servidores encontraram uma visitante com porções de maconha, que estavam escondidas em meio a 7 pacotes de fumo desfiado.

São José do Rio Preto

No Centro de Detenção Provisória. Uma mulher estava com uma porção de maconha no cós da calça, além de uma porção de cocaína. Questionada, a visitante disse que recebeu uma ligação de pessoa que não se identificou oferecendo-lhe certa quantia em dinheiro para levar a droga para dentro da unidade. Já no Centro de Progressão Penitenciária daquela cidade, uma mulher tentou driblar a revista carregando no bolso lateral um celular com bateria e chip.

Riolândia

Na Penitenciária “João Batista de Santana”, uma visitante foi flagrada pelos agentes com R$ 30 camuflados no seu documento de R.G. Outra mulher, durante revista, foi pega com diversas anotações.

Penitenciária “ASP Valdecir Fabiano” de Riolândia

Os agentes penitenciários, flagraram, uma visitante levando ao companheiro uma faca de cabo plástico e lamina de serrilha na vasilha de comida.

Presidente Bernardes

Na Penitenciária “Silvio Yoshihiko Hinohara” de Presidente Bernardes, durante revista duas visitantes foram flagradas com ilícitos. A primeira delas escondia maconha e grande quantidade de comprimidos, que estavam escondidos na região do quadril. A segunda moça escondia maconha na região do tórax.

Martinópolis

Na Penitenciária, uma senhora tentou entrar na unidade com um invólucro inserido em sua genitália que escondia um micro aparelho de telefonia celular.

Lavínia

Penitenciária I Vereador Geometti

Uma das ocorrências mais inusitadas , quando uma vasilha de macarrão escondia 6 porções de maconha. No mesmo dia, o escâner corporal identificou uma mulher com o sutiã recheado de maconha. No cós da calça que ela usava, também estavam drogas sintéticas.

Penitenciária II Luis Aparecido Fernandes de Lavínia

Duas visitantes foram flagradas com celular no corpo. Uma delas portava um manuscrito com anotações impróprias. Em outro episódio, a companheira de um dos presos tentou entrar com um micro aparelho celular.

Na Penitenciária III ASP Paulo Guimarães de Lavínia

Uma mulher foi flagrada com um celular após ser submetida ao aparelho de escâner corporal. O objeto estava acondicionado num invólucro confeccionado com fita de alta fusão, papel carbono, grafite em pó e introduzidos em sua genitália. Na mesma unidade, uma mulher, irmã de um sentenciado tentou ingressar com 2 placas de aparelho de telefonia celular. A apreensão ocorreu durante a revista manual na alimentação trazida pela visitante. O objeto estava acondicionado em invólucros confeccionados com fita de alta fusão, papel carbono, grafite em pó e camuflados dentro de “filés à parmegiana”.

 

 

Leia a matéria:

http://www.sap.sp.gov.br/noticias/pauta-19-02-19.html