compartilhe>

Um agente de segurança penitenciária (ASP) foi agredido por presos da PI de Franco da Rocha na manhã desta quinta-feira, 20/12. O SIFUSPESP esteve presente na unidade prisional, representado por seu presidente Fábio Jabá, acompanhado da diretora do ponto de apoio de Franco da Rocha, a advogada Silvana Helena e da ASP e psicóloga Rosana Pontes. O objetivo foi obter informações da condição de saúde do funcionário agredido e prestar suporte aos trabalhadores da penitenciária.

Em reunião com diretor da PI, Marco Aurélio Cardoso, foi confirmada a informação de que a agressão ocorreu no raio 3 da unidade. O ASP foi imediatamente encaminhado ao Hospital Municipal de Cajamar, apresentando várias escoriações pelo corpo, além de um grande hematoma no olho esquerdo. Ele passou por diversos exames no hospital e já foi liberado. Apesar das lesões localizadas principalmente na costa e pescoço, o ASP passa bem.

O presidente do sindicato, assim como a diretora do ponto de apoio Silvana estiveram em contato com o servidor, que encontra-se em recuperação. Ele também passou por avaliação psicológica na unidade. O SIFUSPESP oferece total apoio ao funcionário.

“Trata-se de um servidor exemplar, conhecido por sua eficiência e boa postura no ambiente de trabalho e respeitado por isso. Mais um trabalhador que no tratar dos seus deveres foi agredido. Ele esteve envolvido na apreensão do drone da PII de Franco”, afirmou Jabá.

Segundo o presidente do sindicato, a diretoria ofereceu todo o apoio necessário na ocasião e o Grupo de Intervenção Rápida (GIR) agiu na retomada do controle da penitenciária e seguiu executando uma varredura completa nas instalações do presídio. Também deu prosseguimento aos procedimentos administrativos cabíveis.

Ressaltamos que a COREMETRO (Coordenadoria das Unidades Prisionais da Região Metropolitana de São Paulo) ofereceu apoio durante todo o processo de assistência ao guerreiro agredido.

Está disponibilizado um serviço de apoio psicológico para os servidores dentro da unidade. O diretor Cardoso também informou ao sindicato, que entre as medidas a serem tomadas em decorrência da agressão, está a transferência dos sentenciados envolvidos.

  

Automação da celas

O presidente do sindicato lembra que já ocorreram outras agressões em Franco da Rocha e o SIFUSPESP já realizou pedido de automação das celas há certo tempo. O diretor da P1 informou que a automação já foi autorizada, e o processo iniciará no raio 3 da unidade.

“Agradecemos ao Marco Aurélio Cardoso, diretor da unidade, que nos atendeu prontamente e procedeu da melhor maneira perante a situação. Também agradecemos aos funcionários da P1 de Franco da Rocha, a quem também prestamos apoio. O SIFUSPESP é isso. Estamos ao lado do servidor em todos os momentos”, disse Jabá.  

O trabalho do SIFUSPESP Lutar para Mudar tem sido de aproximação com a categoria e presença não apenas nas unidades, mas lado a lado com o trabalhador penitenciário conforme suas necessidades. O espírito de luta e resistência típico de nossa categoria estava órfão de um sindicato que agisse com a mesma prontidão e respeito. Desde as caravanas de Brasília de 2017, nossa categoria percebeu que pode contar com um sindicato combativo.

 

Guerreiro e herói

Gostaríamos de frisar que para orgulho de toda equipe, após alta hospitalar, o agente agredido fez questão de retornar a unidade e nos ajudar com a intervenção do GIR e identificação dos agressores. Atitude digna de um guerreiro que mesmo ferido jamais abandona seu exército, tanto que ao pisar na radial, foi recebido com aplausos por todos os ASPs. Realizada a intervenção tática do GIR, com grande êxito, vários presos foram transferidos, e deram-se demais providencias de praxe.  

Leia também:

http://www.sifuspesp.org.br/noticias/6253-asp-agredido-na-p1-de-franco-da-rocha