compartilhe>

 

Sifuspesp apoia iniciativa e conta com união dos servidores para aumentar pressão sobre governo do Estado

 

Indignado com a proposta de reajuste salarial de 3,5% feita pelo governador Geraldo Alckmin(PSDB) para o funcionalismo público, um agente de segurança penitenciária(ASP) que há 26 anos trabalha na Penitenciária de Presidente Prudente organizou uma petição pública para mobilizar a categoria a exigir um aumento digno e condizente com a dedicação dos funcionários ao bom funcionamento das unidades prisionais paulistas.

A ideia de Rosalvo da Silva surgiu diante do que ele via como “falta de mobilização da categoria”. “Na minha opinião essa proposta é uma ofensa a todos nós, e por isso eu resolvi debater com os colegas essa indignação e criar esse abaixo-assinado para fomentar a discussão entre os agentes e ao mesmo tempo construir em conjunto um documento que pode demonstrar que estamos sim mobilizados”, esclarece.

Iniciada na noite do último domingo, a petição pública já conta com cerca de 1.500 assinaturas e pode ser acessada pelo link: http://www.peticaopublica.com.br/pview.aspx?pi=BR104064

No texto que acompanha o abaixo-assinado, Rosalvo esclarece que o governo do Estado descumpre a Constituição Federal ao não garantir aos servidores ao menos a reposição inflacionária anual, que se fosse seguida à risca teria de fornecer aos funcionários do sistema prisional 32% de aumento. Esse percentual leva em consideração o último reajuste, concedido ainda em 2014.

Após a coleta de assinaturas, o ASP pretende aproveitar o retorno ao trabalho dos deputados estaduais para em conjunto com os sindicatos ir à Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo(Alesp), protocolar o documento e mobilizar os servidores do sistema prisional para dialogar com os parlamentares sobre um aumento realmente digno.

Apesar de proposto por Alckmin, o reajuste de 3,5%, a ser dado a partir de 1 de fevereiro, ainda precisa passar pelo crivo dos deputados.

“Eu fico espantado de ver a falta de luta, a falta de ação e de politização dos companheiros. Mas nem todos estão satisfeitos com essa ofensa anunciada pelo governo, e por isso eu me mobilizei. E conto com apoio dos sindicatos, porque sei que esse respaldo vai auxiliar para que mais pessoas assinem o abaixo-assinado e compreendam tamanha indignação”, relata Rosalvo Silva.

O presidente do SIFUSPESP, Fábio César Ferreira, o Fábio Jabá, elogiou a iniciativa do ASP e colocou o sindicato à disposição para amplificar o movimento. “Quando um servidor toma uma atitude como essa é preciso estender a mão a ele e seguir em frente com o movimento, utilizando da organização sindical para fazer essa iniciativa repercutir junto à categoria e uni-la ainda mais em torno dessa bandeira fundamental, que é o reajuste digno. Tal atitude prova que os trabalhadores não estão acomodados e farão valer os seus direitos sem temer. Todos que assim agirem podem contar conosco”, explica Jabá.