compartilhe>

No últimos sábado e domingo, dias 26 e 27 de Janeiro, as ocorrências foram diversas, entretanto os trabalhadores penais, utilizando da expertise adquirida no dia a dia, por observação de comportamentos suspeitos, em algumas unidades com auxílio do aparelho de scanner corporal, obtiveram êxito no procedimento de revista.

Ao contrário do que pensa o senso comum, esta não é uma tarefa fácil de ser realizada. Assim como o scanner não substitui o trabalho de inteligência e perspicácia para o cumprimento da operação. Além disso, com a superlotação das unidades, o número de visitantes é absurdo e o déficit funcional é um fator agravante.

Desta maneira, o SIFUSPESP exalta os funcionários do sistema prisional paulista pela realização deste trabalho. Parabéns aos guerreiros!

 

Segue abaixo os destaques das apreensões:

Em Irapuru no forro da calcinha da mulher um invólucro contendo 108 (cento e oito) comprimidos azuis e maconha;

Presidente Venceslau (PII) em duas batatas cruas que escondiam em seu interior 19 (dezenove) placas de adaptadores de memória e 01 (um) adaptador.

 

Região Metropolitana de São Paulo

 

Pinheiros I

Visitantes do Centro de Detenção Provisória (CDP) “ASP Vicente Luzan da Silva” de Pinheiros I usaram a costura da calça para esconderem entorpecentes análogos à maconha. Os agentes de segurança da unidade apreenderam com duas mulheres seis invólucros contendo maconha.

Nas duas situações as substâncias foram encontradas após procedimento de revista no scanner corporal, que apontou anormalidade na região do cós da calça das visitantes. Em um dos casos, também foi encontrado um pacote do entorpecente embaixo da cadeira onde a visitante aguardava.

São Bernardo do Campo

Os agentes de segurança do Centro de Detenção Provisória (CDP) de São Bernardo do Campo realizaram apreensão de entorpecente sintético K4. O ilícito estava escondido na barra da calça de uma visitante que confirmou portar um invólucro com a substância logo após passar por revista, onde as servidoras observaram nas imagens do scanner corporal um volume atípico na região dos tornozelos da mulher.

Santo André

No Centro de Detenção Provisória (CDP) de Santo André registrou a apreensão de um mini celular com uma visitante da unidade. A companheira de um preso tentava levar para dentro do CDP um invólucro com o aparelho escondido em seu corpo, identificado pelas imagens do aparelho scanner corporal. A visitante foi encaminhada a local apropriado, onde retirou o pacote de seu corpo e o entregou às autoridades competentes no local. 

Mauá

A companheira de um preso do Centro de Detenção Provisória (CDP) de Mauá tentou entrar na unidade levando 16 invólucros de cocaína escondidos em seu absorvente íntimo, a visitante passava pelo procedimento padrão de revista mecânica no scanner corporal quando os agentes notaram um volume suspeito na região íntima de seu corpo.

Franco da Rocha

O Centro de Progressão Penitenciária (CPP) e a Penitenciária II “Nilton da Silva”, ambas unidades de Franco da Rocha, flagraram visitantes tentando levar ilícitos para dentro dos estabelecimentos penais. Nas duas ocorrências, os visitantes estavam com invólucros de cocaína.

No CPP, foi visto pelas imagens do scanner corporal que o invólucro estava escondido na genitália da mulher. Já na Penitenciária, a substância estava na sola do chinelo do pai de um preso da unidade.

 

Vale do Paraíba e Litoral

 

São Vicente

Duas visitantes foram barradas ao tentarem entrar com drogas em unidades prisionais de São Vicente. Ao todo, foram apreendidos 130 gramas da erva.

A avó de um sentenciado da Penitenciária II de São Vicente foi surpreendida com maconha durante a inspeção feita nos itens que entregaria a seu neto. Os servidores desconfiaram do odor de seis pacotes de tabaco trazidos pela mulher, de 63 anos. Ao verificarem o conteúdo das embalagens, encontraram o total de 100 gramas da droga misturados ao fumo comum.

No dia seguinte, servidores do Centro de Detenção Provisória "Luis César Lacerda", o CDP de São Vicente, impediram a entrada de uma jovem que carregava entorpecente na roupa. Ao passar pelo aparelho de escaneamento corporal, foi identificado um volume atípico na barra da calça da suspeita, de 20 anos. Questionada, a mulher admitiu portar invólucros de maconha costurados na vestimenta, que somavam 30 gramas da erva.

 

Região Noroeste

 

Avaré

Uma mulher foi flagrada tentando entrar com fermento biológico seco misturado na farofa, durante procedimento de revista realizado na Penitenciária “Doutor Paulo Luciano de Campos” (PI) de Avaré. A suspeita se deu após agentes notarem material estranho no vasilhame de alimentação que a visitante levaria para o marido. A substância pode ser usada para fabricar cachaça conhecida como “Maria Louca”, feita através de um método que mistura diversos alimentos.

É possível, inclusive, produzir a bebida sem fermento, usando açúcar. 

Bauru

Agentes de segurança do Centro de Detenção Provisória (CDP) de Bauru impediram a entrada de um aparelho celular na unidade, em procedimento de revista. O objeto estava na bolsa da visitante, que visitaria o seu companheiro preso. Questionada, ela alegou que não tinha conhecimento da irregularidade e que o telefone pode ter sido deixado em seus pertences por sua filha ou avó.

Bernardino de Campo

Uma mulher foi flagrada com cocaína escondida em seu corpo, após inspeção no escâner corporal da Penitenciária de Bernardino de Campos. Após o flagrante, a visitante foi levada até uma sala reservada e, na presença de agente feminina, retirou de seu corpo o invólucro com a droga, pesando 91,6 gramas.

Cerqueira César

Agentes de segurança do Centro de Detenção Provisória (CDP) de Cerqueira César apreenderam um porção de maconha com uma das visitantes. O escâner corporal indicou volume anormal na região do tórax da mulher, que visitaria o companheiro. O entorpecente estava camuflado na barra da blusa top que ela vestia. A droga contabilizou peso total de 7,5 gramas. 

Franca

A Penitenciária de Franca registrou duas apreensões em ambos os casos, as visitantes foram flagradas pelo escâner corporal com porção de maconha no corpo.

No primeiro fragrante a mulher foi questionada sobre imagem suspeita captada pelo equipamento digital, a mulher confessou que tentava entrar com droga na unidade. Ela retirou de seu corpo a maconha - em formato oval -, que levaria para o marido.

A outra apreensão teve ação bastante semelhante à primeira. Entretanto, ao ser indagada, a mulher negou qualquer irregularidade. Ela foi encaminhada ao pronto-socorro da cidade, para realização de exames. Antes do resultado ficar pronto, contudo, a visitante confessou que havia maconha em seu corpo- ela própria retirou o entorpecente.

Ribeirão Preto

Na Penitenciária de Ribeirão Preto, após ser flagrada, ela foi encaminhada para uma sala reservada e, na presença de agente feminina, concordou em retirar a maconha escondida em seu corpo, acondicionada em fita adesiva.

Serra Azul

A Penitenciária I de Serra Azul registrou dois casos, de visitantes tentando entrar com droga na unidade. Em um dos flagrantes, a mulher usou pedaços de carne para esconder maconha.

A primeira apreensão ocorreu após o escâner corporal indicar objeto suspeito, a visitante foi levada por agente feminina até um dos banheiros da unidade, onde retirou uma porção de maconha do corpo.

Em outro flagrante, os agentes de segurança apreenderam 15 porções de maconha camufladas em pedaços de carne, durante inspeção em vasilha plástica.

 

Região Central

 

Campinas

Agentes encontraram, nos fundos de sacola trazida por mãe de preso do Centro de Detenção Provisória (CDP) de Campinas, anotações e extrato bancário de deposito sem identificação. No dia seguinte, companheira de preso foi flagrada por meio do scanner corporal da unidade com com um pacote escondido dentro de sua genitália. Questionada, a visitante retirou voluntariamente e entregou para as funcionárias o pacote camuflado que continha em seu interior maconha e pasta base.

Itirapina

Na Penitenciária II "João Batista de Arruda Sampaio" de Itirapina, ao passar visitante por revista com o scanner corporal, agentes desconfiaram das imagens geradas, mesmo repetindo o procedimento. Questionada, a visitante acabou confessando que estava com ilícito e, após ser conduzida a uma sala apartada, retirou espontaneamente de suas partes intimas um invólucro contendo um micro aparelho de telefonia celular.

Hortolândia

Na Penitenciária III de Hortolândia, visitante foi flagrada tentando entrar com maconha. O flagrante aconteceu porque agentes desconfiaram das imagens do scanner corporal. A visitante foi conduzida para a Delegacia de Policia de Plantão da cidade.

No domingo, na Penitenciária II "Odete Leite de Campos Critter" de Hortolândia, ao desconfiar de imagens suspeitas no scanner geradas durante revista a visitante. Após ser questionada, foi constatado que a companheira de preso da unidade estava com uma porção de maconha, escondida no bojo do sutiã (top). 

Piracicaba

Foram duas apreensões na Penitenciária de Piracicaba, quando da passagem por procedimento de revista no scanner corporal, os agentes perceberem uma alteração na imagem na região pélvica sendo a visitante encaminhada por agentes femininas para uma sala reservada onde retirou de suas partes intimas um invólucro contendo um aparelho micro celular.

No dia seguinte, outra visitante foi flagrada da mesma forma tentando entrar com outro micro aparelho. Ambas eram companheiras de presos da unidade.

Mogi Mirim

No Centro de Ressocialização "Prefeito João Missaglia" de Mogi Mirim. Uma visitante tentou entrar com um comprimido de medicamento para disfunção erétil oculto na bermuda que pretendia entregar ao filho, reeducando da unidade.

 

Região Oeste

 

Lavínia

Ao passar o “jumbo” do pai de um sentenciado pelo equipamento de raio X, para fins de revista em alimentos e produtos de higiene trazidos para o filho preso, agentes do Penitenciária “ASP Paulo Guimarães” de Lavínia (PIII) detectaram a presença de objetos ilícitos ocultados em uma vasilha plástica. Em meio a mandiocas, amarrados a bifes, havia 02 (duas) placas de telefone celular escondidas em um invólucro com papel carbono, grafite e fita de auto fusão. 

Na Penitenciária “Luiz Aparecido Fernandes” de Lavínia (PII), com o auxílio do scanner corporal, funcionários detectaram por meio das imagens geradas pelo aparelho que duas mulheres traziam cada qual 01 (um) microcelular inserido no corpo. 

Mirandópolis

A companheira de um sentenciado tentou entrar na Penitenciária “Lindolfo Terçariol Filho” de Mirandópolis (PII) com quatro lanches recheados com maconha, acondicionados em vasilha plástica.

Presidente Venceslau

Durante realização de revista em pertences (jumbo) da mãe de um sentenciado, através do aparelho de raio X, agentes perceberam irregularidades em uma sacola com alimentos, onde havia um celular. 

Presidente Prudente

Um sentenciado da Penitenciária “Wellington Rodrigo Segura” de Presidente Prudente aguardava a visita da mãe quando esta foi flagrada no momento da revista com um celular escondido no sutiã, o qual ela alegou ter esquecido de guardar.

Junqueirópolis

Quatro mulheres foram barradas e impedidas de entrar na Penitenciária de Junqueirópolis após passarem pelos procedimentos de revista via scanner corporal. Isso porque três delas traziam pedaços de papel K4 e uma outra trazia um microcelular, todos escondidos nas partes íntimas. 

Presidente Venceslau (PII)

Com uma visita de sentenciado, servidores da Penitenciária “Maurício Henrique Guimarães Pereira” de Presidente Venceslau (PII) encontraram duas batatas cruas que escondiam em seu interior 19 (dezenove) placas de adaptadores de memória e 01 (um) adaptador completo. No dia seguinte, outra mulher tentou adentrar a unidade com azeitonas recheadas com pequenas porções de maconha.

Irapuru

Ao passar pelo scanner corporal a visita de um preso da Penitenciária de Irapuru ouviu soar o alarme do aparelho de revista. Para sanar dúvidas, passou novamente ouvindo o mesmo apitar pela segunda vez. Assim, em local reservado, a mulher retirou a vestimenta e entregou a agentes femininas, que confirmaram haver costurado no forro da calcinha da mulher um invólucro contendo 108 (cento e oito) comprimidos azuis e uma substância esverdeada aparentando maconha. 

Martinópolis

Três mulheres com celulares ocultos na genitália e outras duas com maconha escondida entre as pernas, do lado de dentro das calças, foram flagradas durante passagem por revista na Penitenciária “Tacyan Menezes de Lucena” de Martinópolis.

Flórida Paulista

Uma visitante da Penitenciária “A.E.V.P. Cristiano de Oliveira” de Flórida Paulista foi flagrada tentando adentrar ao interior do presídio com droga K4 escondida em suas vestes (sutiã). O material foi visualizado nas imagens geradas pelo scanner corporal, aparelho de revista mecânica.

Mirandópolis

Com o uso de equipamentos de revista diferentes, duas mulheres foram flagradas com ilícitos e impedidas de visitar os companheiros presos na Penitenciária “Nestor Canoa” de Mirandópolis (PI). Um delas trazia, em meio a alimentos, 11(onze) pacotes de maconha e seis pacotes de cocaína, sendo descobertas pelo aparelho de raios X. A outra foi surpreendida pelas imagens do scanner corporal que revelaram um celular inserido no órgão genital.

Pacaembu

Dois celulares e uma porção de cocaína foram apreendidos na entrada da Penitenciária “Ozias Lúcio Dos Santos” de Pacaembu com três mulheres, respectivamente, que visitariam companheiros presos no local. Os objetos estavam inseridos nos órgão sexuais das visitas.

Presidente Bernardes

Na Penitenciária “Silvio Yoshihiko Hinohara” de Presidente Bernardes, uma mulher foi surpreendida com uma sacola de lanches, trazida para um sentenciado, mas que escondia nove invólucros com cocaína. Três horas depois, outra mulher foi flagrada pelo scanner corporal com um celular inserido na genitália. 

Nova Independência

Duas mulheres tentaram burlar a segurança do Centro de Detenção Provisória de Nova Independência  visitar parentes que cumprem pena no local estando com diversos manuscritos e números de telefone anotados nas vestes.

 

Leia a matéria:

http://www.sap.sp.gov.br/noticias/pauta-05-02-19.html#top