compartilhe>

A Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) informa sobre as apreensões realizadas no último final de semana, 17 e 18 de novembro, em presídios de todo o estado de São Paulo. Todos os casos foram registrados por meio de boletim de ocorrência e os visitantes flagrados foram automaticamente suspensos do rol de visitas.

Em cada uma das apreensões, os presos foram isolados e respondem a Procedimento Disciplinar para apurar a cumplicidade daqueles que receberiam os materiais ilícitos.

Capital

Uma visitante tentou entrar com maços de cigarro recheados de substâncias análogas à cocaína e à maconha no Centro de Detenção Provisória (CDP) Belém I, localizado na capital paulista. O flagrante realizado pelos agentes de segurança aconteceu durante revista dos pertences levados pela visitante a um sentenciado no último domingo (18/11).

 

Diadema

No Centro de Detenção Provisória (CDP) de Diadema, no domingo (18/11), a companheira de um sentenciado foi surpreendida tentando entrar na unidade com um invólucro de entorpecente escondido em sua genitália.

Ao passar pelo scanner corporal, o aparelho detectou uma anormalidade na região pélvica da visitante e confirmou-se que levava um pacote contendo materiais característicos à maconha e à cocaína.

 

Franco da Rocha

Nas três penitenciárias e no Centro de Progressão Penitenciária (CPP) de Franco da Rocha houve apreensões de entorpecentes durante o final de semana de visitas (17 e 18 de novembro). Em quatro casos as mulheres levavam os ilícitos escondidos em suas genitálias, enquanto o quinto flagrante foi feito a um visitante homem, que escondeu o material análogo à maconha na barra de sua calça.

Nas penitenciárias I “Mário de Moura e Albuquerque” e III “José Aparecido Ribeiro” e no CPP de Franco da Rocha, as visitantes foram flagradas com invólucros contendo substâncias análogas à maconha, à cocaína e ao LSD escondidos em suas genitálias.

  

Já na Penitenciária II “Nilton Silva”, também de Franco da Rocha, o caso de apreensão foi registrado com um homem que escondeu um invólucro de material semelhante à maconha na barra de sua calça, sendo flagrado pelo aparelho de scanner corporal.

Parelheiros

Os agentes de segurança da Penitenciária “ASP Joaquim Fonseca Lopes”, de Parelheiros, flagraram no sábado (17/11), uma visitante tentando entrar na unidade com um micro celular escondido em seu corpo. A contravenção foi observada pelo aparelho scanner corporal.

Ao ser questionada, a mulher confirmou estar com o objeto em seu corpo e mostrou-se disposta a ir ao hospital local para esclarecer dúvidas. Uma viatura da Polícia Militar foi acionada para conduzir a mulher até o Hospital Municipal de Parelheiros, local onde o aparelho celular foi retirado pela própria mulher e entregue aos responsáveis.

Suzano

No sábado, dia 17 de novembro, no Centro de Detenção Provisória de Suzano, a mãe de um detento foi frustrada na tentativa de entrar na unidade com invólucros de maconha escondidos dentro de um recipiente com comida. Ao revistarem os alimentos trazidos pela visitante, de 55 anos, os servidores encontraram 34 gramas de cocaína e 60,3 de maconha escondidos dentro de pedaços de carne.

Pouco mais tarde, a irmã de um preso foi flagrada com a mesma estratégia. A suspeita, de 25 anos, trazia 105 gramas de cocaína e 3,7 gramas de maconha camuflados em um pote com comida.

  

Mogi das Cruzes

Ainda no sábado, a irmã de um recluso do CDP de Mogi das Cruzes foi barrada com maconha sintética, conhecida como K4. A visitante, de 42 anos, trazia o alucinógeno escondido dentro de seu documento.

 

São Vicente

Uma visitante foi surpreendida com entorpecentes na Penitenciária 2 de São Vicente no domingo, dia 18 de novembro. A suspeita, de 36 anos, trazia 123 gramas de drogas na genitália.

Uma agente de segurança identificou um objeto estranho na região pélvica da mulher, a partir das imagens geradas pelo scanner corporal. Ao ser questionada, a visitante confessou que carregava um invólucro com 26 gramas de maconha e 97 gramas de cocaína. A droga seria entregue a seu companheiro, sentenciado na unidade prisionais.

Caraguatatuba

No Litoral Norte, também no domingo, dia 18 de novembro, a esposa de um detento foi surpreendida com maconha costurada no cós da calça no Centro de Detenção Provisória "Dr. José Eduardo Mariz de Oliveira", o CDP de Caraguatatuba. O material, que pesava 8 gramas, foi identificado nas imagens geradas pelo scanner corporal. Ao ser questionada por uma servidora, a suspeita confessou que carregava o ilícito.

Potim

No domingo, uma mulher de 36 anos foi barrada na Penitenciária “AEVP Jair Guimarães de Lima”, a P1 de Potim, com 7 gramas de maconha. Ao ser submetida à revista por meio de escaneamento corporal, foi detectado por agentes uma alteração nas imagens geradas pelo aparelho. Ao ser informada que o procedimento seria repetido, a mulher tentou tirar de sua calça uma porção da erva, mas foi flagrada pelos servidores.

 

Campinas

Duas mulheres foram detidas no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Campinas. O primeiro flagrante ocorreu no sábado, (17/11), quando uma visitante de 21 anos passou pelo scanner corporal. Ela pretendia visitar o companheiro, mas foi detida quando agentes perceberam alterações nas imagens. Diante disso, ela foi conduzida a uma sala reservada, onde espontaneamente retirou o invólucro contendo cocaína e droga sintética.

Já o segundo flagrante ocorreu no domingo, (18/11), quando uma mulher de 22 anos passou pelo procedimento de revista dos alimentos, agentes encontraram maconha misturada a pedaços de carne. Ela admitiu que pretendia entregar a droga ao companheiro. As duas suspeitas foram encaminhadas ao plantão policial e permanecem à disposição da Justiça.

 

Itirapina

No domingo (18/11), uma mulher foi detida na Penitenciária João Batista de Arruda Sampaio, Itirapina II, durante procedimento de revista, com 72 gramas de cocaína escondidos na genitália. A suspeita pretendia visitar o companheiro, mas foi impedida quando agentes perceberam alteração na imagem no momento em que a suspeita passou pelo scanner corporal. Diante disso, a mulher foi encaminhada a uma sala reservada e fez a retirada, espontaneamente do invólucro.

Bauru

No sábado, (17/11), durante procedimento de escaneamento corporal em uma visitante, no Centro de Detenção Provisória "ASP Francisco Carlos Caneschi" de Bauru, agentes de Segurança Penitenciária identificaram na imagem um objeto introduzido no órgão genital. Indagada, ela confirmou que havia introduzido em seu corpo um aparelho de telefonia celular com chip, retirando voluntariamente o invólucro que continha o aparelho. A visitante foi encaminhada a Central de Polícia Judiciária de Bauru para elaboração de Boletim de Ocorrência. O detento que receberia o celular foi isolado preventivamente para apuração dos fatos.

No sábado imagem do scanner corporal mostrava objeto na região genital de visitante. A mulher, ao ser questionada, em primeiro momento negou portar objeto ilícito, porém enquanto aguardava para ser conduzida ao hospital para realização de exame, voltou atrás e disse que havia introduzido uma porção de maconha em seu órgão genital e concordou em retirar espontaneamente. A visitante foi encaminhada a Central de Polícia Judiciária de Bauru para elaboração de Boletim de Ocorrência, sendo o conteúdo que pesava cerca de 55 gramas, confirmado como “maconha” pela autoridade policial. Foi instaurado Procedimento Apuratório Disciplinar e o detento encaminhado preventivamente para o pavilhão disciplinar, visando apurar o ocorrido.

No domingo, (18/11), ao realizar inspeção nos pertences de uma mulher que visitaria o cônjuge, agentes encontraram dentro da sacola uma bolsa preta, contendo um celular com chip, uma CNH e R$12,35 em cédulas e moedas. Perguntada, a visitante informou serem de sua propriedade e que, simplesmente, havia os esquecido dentro da sacola. Como de praxe a mulher foi conduzida a Central de Polícia Judiciária de Bauru para elaboração de Boletim de Ocorrência e o detento isolado para averiguação.

   

Avanhandava

No sábado, na Penitenciária "Valdic Junio Alves Primo" de Avanhandava, uma visitante foi retida após passar pelo escâner corporal, pois a imagem obtida durante o procedimento revelou alteração na altura do quadril. Confrontada, ela confirmou que havia introduzido maconha em seu corpo. A mulher foi encaminhada para a autoridade policial, assim como o entorpecente, que pesou aproximadamente 77 gramas.

Pouco mais de uma hora após a primeira ocorrência, outra visitante foi barrada no scanner corporal valendo-se da mesma “técnica” flagrada anteriormente: indagada, confessou ter introduzido maconha no reto e, relatou ainda, que a droga era destinada a seu companheiro. Diante dos fatos ela foi conduzida a autoridade policial, juntamente com o entorpecente que pesou mais de 99 gramas.

 

Franca

Durante procedimento de escaneamento corporal em uma visitante no domingo, (18/11), na Penitenciária de Franca, agente penitenciária que operava o equipamento percebeu anormalidade na imagem, na região pélvica da mulher, que indagada negou portar qualquer objeto ilícito consigo. Minutos antes de ser conduzida para o Hospital, onde seriam realizados exames para dirimir as dúvidas sobre a imagem gerada pelo eficiente aparelho, ela mudou de ideia e assumiu que portava algo em seu corpo. Voluntariamente ela retirou um invólucro contendo erva análoga a maconha.

Também no domingo, nova tentativa de ludibriar a segurança da unidade com a velha tática de introduzir ilícitos na genitália, foi flagrada por agentes. Submetida a revista pelo equipamento de inspeção corporal, a imagem sugeria um objeto no interior do corpo da visitante. Questionada, a mulher negou carregar ilícito no interior de seu corpo. Deste modo foi encaminhada para exames médicos no Hospital de Franca, onde os médicos avistaram e retiraram de seu órgão genital um invólucro, momento em que a Policia Militar (PM) conduziu a mulher até a delegacia para lavrar boletim de ocorrência e confirmar o conteúdo do invólucro, o que não havia ocorrido até o fechamento da nota de apreensão.

 

Marília

No domingo (18/11), na Penitenciária de Marília, durante procedimento de revista através do Scanner corporal, verificou-se imagem suspeita na região da cintura de uma mulher que visitaria o amásio. Questionada sobre o fato admitiu estar levando drogas no cós da calça. Acompanhada por Agentes Penitenciárias, em uma sala reservada ela alegou que levava entorpecentes para o companheiro e retirou da peça de roupa oito porções embaladas em plásticos, sendo seis delas compostas por erva esverdeada, possivelmente maconha, e outras duas com pó branco semelhante a cocaína.

  

Pirajuí

O final de semana também foi movimentado na Penitenciária “Luiz Gonzaga Vieira” de Pirajuí. Agentes foram eficientes e barraram duas tentativas de entrada de ilícitos. No sábado (17/11), na imagem obtida pelo scanner corporal denunciava um volume incomum na região pélvica da visitante. Questionada, a senhora confessou estar portanto drogas dentro do próprio corpo e, levada a uma sala reservada na presença de agentes femininas, retirou de sua genitália um invólucro que, ao ser verificado, continha um aparelho celular com dois chips.

Ainda no sábado, o Scanner corporal mais uma vez auxiliou os olhos atentos e treinados das agentes, que perceberam na imagem produzida pelo equipamento um objeto estranho na altura da genitália de uma visitante. Indagada, ela confessou portar material ilícito, momento em que foi conduzida a uma sala reserva e, na presença de agentes penitenciárias, retirou espontaneamente de seu corpo, um invólucro de 55 gramas, de cor marrom, que aberto continha pó branco semelhante a droga conhecida como cocaína.

   

Ribeirão Preto

No sábado (17/11), durante revista aos pertences de uma visitante da Penitenciária de Ribeirão Preto, foram encontrados no interior de sua sacola dois absorventes “recheados” com diversos extratos bancários, com a clara intenção de ocultar tais extratos e burlar a vigilância. Foi elaborado comunicado de evento para apurar o fato, sendo o material retido e a mulher impedida de realizar a visita. Ela foi notificada para comparecer a unidade prisional no prazo de três dias para que seja colhido seu termo de declaração acerca do ocorrido.

No mesmo dia, durante passagem de visitante pela revista através do escâner corporal, agentes visualizaram no monitor um objeto suspeito na região da cintura. A mulher foi encaminhada a uma sala para revista manual de suas vestes, quando retirou do cós da calça uma porção de substância esverdeada e outra porção de cor branca, ambas embaladas em plásticos transparentes, tratando-se possivelmente de serem os entorpecentes conhecidos como maconha e cocaína.

 

Irapuru

Durante realização dos procedimentos de revista em alimentos trazidos por visitantes de sentenciados na Penitenciária de Irapuru, no sábado, (17/11) agentes encontram um caderno dentro da bolsa trazida pela mãe de um deles. Entre as folhas do caderno havia uma adulteração, com algo colado, de cor alterada, aparentando se tratar de entorpecente sintético K4, o material foi apreendido.

Pracinha

Com uma mesma forma de agir, três mulheres que visitariam os respectivos companheiros na unidade prisional tentaram burlar a segurança e entrar com erva esverdeada aparentando maconha no fundo falso da calcinha, bem como, no cós da peça íntima e no cós da calça, respectivamente, na Penitenciária . Além do forte odor, havia volume nas vestimentas.

 

Pacaembu

Ao entrar na unidade para visitar os companheiros que cumprem pena na Penitenciária “Ozias Lúcio Dos Santos” de Pacaembu, no sábado, (17/11), duas mulheres traziam consigo alimentos que, como de praxe, passaram pelos procedimentos de vistoria por raios X. Neste momento, o aparelho apontou que havia ilícitos entre o “jumbo” das visitas, sendo encontrada com uma delas 09 (nove) maços de cigarros com erva esverdeada no interior, supostamente maconha, e com outra 01 (um) carregador de celular, escondido no fundo da sacola.

 

Martinópolis

Também no sábado, (17/11),na Penitenciária “Tacyan Menezes De Lucena” de Martinópolis, dentre as companheiras de sentenciados que chegaram ao presídio para visitá-los, sete delas foram barradas na entrada da unidade por serem flagradas, durante os procedimentos de revista, portando ilícitos. Cinco delas esconderam cada qual 01 (um) celular na genitália, enquanto outra trazia substância análoga à maconha. Por fim, a última escondia dentro do top 06 (seis) pacotes com substância semelhante a entorpecentes, sendo: 04 (quatro) com suposta cocaína, 02 (dois) com suposta maconha e mais alguns comprimidos.

 

Riolândia

Com duas sacolas plásticas contendo alimento para o companheiro sentenciado, que cumpre pena na Penitenciária “João Batista De Santana” de Riolândia, uma mulher acabou barrada durante os procedimentos de revista. Isso porque, ao abrirem um vidro de sabão líquido, Agentes de Segurança Penitenciária encontraram um fundo falso, com tampas sobrepostas na embalagem original a qual também estava danificada. Dentro da tampa havia 41 pedaços de adesivos recortados com aproximadamente 02 cm, aparentando ser o entorpecente K4. A apreensão aconteceu no sábado, (17/11).

Junqueirópolis

O aparelho de scanner corporal identificou imagens de ilícitos ocultos no corpo de duas mulheres, na altura da cintura, na Penitenciária de Junqueirópolis. Uma delas confessou e entregou 01 (um) celular, enquanto a outra negou o fato e teve que ser conduzida pela Polícia Civil à Santa Casa. Lá, ela pediu um copo d’água para despistar os agentes e tentou dispensar o objeto ao jogar o copo no lixo. No entanto, foi impedida pela equipe de escolta, que identificou 01 (um) celular.

 

Lavínia

Na Penitenciária III “Asp Paulo Guimarães” de Lavínia, no sábado, (17/11), companheira do sentenciado M.B.S foi surpreendida tentando ingressar no ambiente carcerário com 01 (um) aparelho de telefone celular preto. A apreensão ocorreu depois que a visitante passou pelo equipamento de detecção de metal scanner corporal. O objeto estava acondicionado num invólucro confeccionado com fita de alta fusão, papel carbono e grafite em pó, e introduzidos em sua genitália.

Na Penitenciária II “Luiz Aparecido Fernandes” de Lavínia, no domingo, (18/11), ao sentar no banco detector de metais durante procedimentos de revista, uma mulher que visitaria o companheiro na unidade prisional ouviu o aparelho sinalizar positivamente. Diante do ocorrido, foi submetida ao scanner corporal, onde ficou clara a presença de 01 (um) celular no órgão genital da visitante.

Também no domingo, (18/11), na Penitenciária I “Vereador Frederico Geometti” de Lavínia, no momento em que a companheira de um sentenciado passava seus pertences no setor de revista, funcionários encontram na sacola, com pertences da sua filha, um invólucro contendo uma substância branca aparentando ser “cocaína”.

Presidente Prudente

Na Penitenciária "Wellington Rodrigo Segura" de Presidente Prudente, no domingo, (18/11), durante o procedimento de revista em visitantes, agentes perceberam um volume suspeito no top de uma das mulheres, onde posteriormente foi encontrado um bolso falso, com uma porção de maconha.

Mirandópolis

Na Penitenciária II “Lindolfo Terçariol Filho” de Mirandópolis, no domingo, (18/11), agentes penitenciários descobriram, durante os procedimentos de revista, anotações de depósito bancário subscritas em absorventes e encontraram dentro de uma linguiça 04 (quatro) pendrives e 04 (quatro) cartões de memória, em meio a alimentos. Os materiais seriam entregues a um sentenciado e foram vistos por intermédio de raios X.

 

São José do Rio Preto

Com uma porção de maconha escondida entre as vestes, uma mulher tentou visitar seu companheiro no Centro de Detenção Provisória de São José do Rio Preto, mas foi descoberta quando passava pelo scanner corporal. Mesmo assim, alegou que não havia nada de irregular, mas era visível um volume em sua calça. Sendo assim, foi encaminhada ao vestiário, onde foi possível encontrar no cós da calça erva semelhante à maconha. O fato ocorreu no domingo, (18/11).

 

Leia a matéria:

http://www.sap.sp.gov.br/noticias/pauta-21-11-18.html#top