compartilhe>

Ministra Cármen Lúcia, do STF, deve ir ao Recife nesta quarta (19) Ministra para visitar visita ao complexo do Curado, alvo de pesquisas do CNJ e ONG internacional.

 

#ForaTemer #PolíciaPenal #ContraPEC287

FORTALEÇA A LUTA, FILIE-SE

Leia a matéria na íntegra:

http://m.jc.ne10.uol.com.br/canal/politica/pernambuco/noticia/2017/07/18/ministra-carmen-lucia-do-stf-deve-vir-ao-recife-nesta-quarta-18-296088.php

Um homem foi preso, na tarde de segunda-feira (17), por policiais do 11º Distrito Integrado de Polícia (DIP), suspeito de estelionato. Segundo a polícia, Luiz Paulo Queiroz, 42, se passava por agente penitenciário e por policial civil para aplicar golpes, vendendo cargos comissionados na Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM).

Segundo a delegada do 11º DIP, 17 vítimas denunciaram o homem, mas a estimativa é que mais de 50 pessoas tenham caído no golpe.

 

#ForaTemer #PolíciaPenal #ContraPEC287

FORTALEÇA A LUTA, FILIE-SE

Leia a matéria na íntegra:

http://d24am.com/policia/preso-homem-que-se-passava-por-agente-penitenciario-e-policial-civil-para-aplicar-golpes/

Representantes dos Sindicato dos Servidores da Administração Penitenciária (SINSAP) e o da Associação dos Praças de Policiais e Bombeiros (SINSAP) reuniram-se com a Comissão de Defesa dos Direitos da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Mato Grosso do Sul (OAB/MS), solicitando apoio as reivindicações da categoria (ASPRA). 
A ASPRA relatou que vários servidores da categoria de Policiais e Bombeiros Militares têm sofrido represálias, coações e assédio moral devido às manifestações públicas realizadas durante a pauta de reajuste salarial, sendo que alguns servidores que utilizaram da palavra durante a Mobilização realizada pela Fórum dos Servidores estão sofrendo sindicâncias e processos disciplinares como forma de coibir a manifestação legítima e democrática realizada pelas categorias dos servidores públicos do Estado de Mato Grosso do Sul.

Conselho Penitenciário do Estado do Ceará traz importante analisa o Sistema Penitenciário do estado, situação que na verdade é comum aos demais estados do país.

Em nota, o Conselho Penitenciário do Estado do Ceará, órgão integrante da Execução Penal, faz reflexão sobre uma situação que é, inclusive, espelho do restante do país. Acompanham com preocupação o agravamento da crise do Sistema Penitenciário do Estado, que tem como expressão mais visível a eclosão de rebeliões, motins com violência e mortes, ocorrência de fugas, em frequência inédita na história do Estado. Isso não acontece apenas nos grandes presídios da capital, mas também nas Comarcas do interior.

O Conselho sugere que intensificação da violência no sistema penitenciário tem, portanto, relação não só com a superpopulação carcerária, como também com as péssimas condições dos estabelecimentos penais e o baixo efetivo de agentes e serviços penais. Isso leva ao aumento e fortalecimento do poder das facções criminosas nas unidades prisionais, retroalimentando, assim, o poder dessas mesmas organizações criminosas nos espaços urbanos.

O sistema penitenciário cearense, atualmente, portanto não ressocializa e nem reduz a incidência de criminalidade. Entretanto, ajuda aumentar a mesma criminalidade, sobretudo entre jovens que, uma vez adentrando o sistema, sem a devida assistência laboral e psicossocial, passam ao envolvimento mais efetivo com as organizações criminosas que atuam em seu interior.

#ForaTemer #PolíciaPenal #ContraPEC287

FORTALEÇA A LUTA, FILIE-SE

Leia a matéria na íntegra:

http://tribunadoceara.uol.com.br/noticias/segurancapublica/violencia-urbana-no-ceara-e-consequencia-dos-pessimos-presidios-alerta-o-conselho-penitenciario/