compartilhe>

Diretor do sindicato, Gilberto Antonio da Silva, e diretor de base Agilson Cardoso verificaram que ala de progressão da unidade está com mais que o triplo da lotação e déficit funcional tem aumentado

 

por Giovanni Giocondo

O diretor do SIFUSPESP, Gilberto Antonio da Silva, e o diretor de base Agilson Cardoso estiveram nesta segunda-feira(26) na Penitenciária de Presidente Prudente, no interior do Estado, para conversar com servidores sobre problemas que afetam a unidade, onde aconteceu uma fuga de 21 detentos no último sábado(24), dentro da ala de progressão penitenciária

De acordo com os relatos feitos pelos policiais penais aos sindicalistas, o local que comporta os detentos do regime semiaberto está totalmente superlotado, com uma população atual de 659 presos para espaço onde deveriam estar apenas 216, ou mais que o triplo da capacidade.

Ainda conforme as informações prestadas pelos servidores, o plantão da unidade está trabalhando com apenas 12 funcionários na segurança, e a previsão é que pelo menos quatro se aposentem no início do próximo ano, sem qualquer previsão de que o déficit seja reposto com novos trabalhadores.

No entender do SIFUSPESP, o caso registrado em Presidente Prudente é o prenúncio de casos semelhantes trágicos envolvendo rebeliões e fugas em massa que poderão ocorrer em um futuro próximo e espalhadas por todo o Estado caso o cenário de redução de efetivo continue inalterado.