compartilhe>

Servidor havia sido detido de forma ilegal sob acusação de desacato e disparo de arma de fogo, mas acabou liberado graças a ação de advogados neste domingo(12)

por Giovanni Giocondo

A Justiça concedeu alvará de soltura para que o policial penal F. B. pudesse ser liberado no final da tarde deste domingo (12). O servidor havia sido detido de forma ilegal na noite de sábado, sob acusação de desacato à autoridade, disparo de arma de fogo e resistência, e acabou agredido pelos dois policiais militares que o abordaram durante a ocorrência no Capão Redondo, zona sul de São Paulo.

De acordo com os advogados do policial penal, Ayrton Ferreira Gabira Junior e Pedro Sanches, a liberdade provisória deve ser comemorada, mas eles vão continuar com em ação para que os PMs que fizeram o flagrante sejam processados por abuso de autoridade e pelas agressões que promoveram contra o policial penal mesmo depois de ele ter se rendido e demonstrado disposição para dialogar. Saiba mais sobre o ocorrido no link

Para o presidente do SIFUSPESP, Fábio Jabá, que esteve na delegacia para fornecer apoio ao trabalhador, a situação demonstra que a categoria deve permanecer cada vez mais unida, sempre na luta contra as injustiças e para que casos semelhantes não se repitam. “Precisamos ser respeitados e reconhecidos como uma categoria que não pode ser submetida a esse tipo de ilegalidade, que atenta contra nossos direitos mais básicos. O importante é que ele está novamente em casa, ao lado de sua família”, explicou.