compartilhe>

Conhecido entre os  amigos como “Professor”, servidor estava internado com sintomas do coronavírus


por Giovanni Giocondo

É com profundo pesar que o SIFUSPESP lamenta o falecimento do policial penal João Almir de Souza, ocorrido nesta sexta-feira(15). O profundo conhecimento sobre o sistema prisional fez com que fosse batizado pelos colegas de “Professor”. Associado ao SIFUSPESP, ele fez muitos amigos ao longo de sua trajetória de mais de três décadas na SAP.

O servidor tinha 57 anos e trabalhava na Penitenciária Feminina de Santana, em São Paulo, onde era Diretor de Disciplina do Pavilhão 3. Ele também havia atuado durante muito tempo no Complexo de Pinheiros, zona oeste da capital, entre outras unidades.

Ele deixa a esposa Suzy e a filha Dayani, a quem o SIFUSPESP oferece seu amparo e apoio incondicional neste momento de tamanha tristeza.

De acordo com informações fornecidas ao sindicato por colegas de João Almir, ele estava internado em um hospital de São Paulo havia duas semanas, com sintomas do coronavírus.

O exame ainda não teve seu resultado disponibilizado. Caso confirme o contágio pela COVID-19, será o décimo óbito envolvendo servidores penitenciários em São Paulo.