compartilhe>

SIFUSPESP reforça caráter essencial das atividades feitas pelos trabalhadores que atendem grande maioria da população brasileira

por Giovanni Giocondo

É celebrado em todo o Brasil nesta segunda-feira (28), o Dia do Servidor Público. O SIFUSPESP, enquanto representante dos trabalhadores penitenciários de São Paulo, aproveita esta data especial para homenagear tanto os funcionários do sistema prisional quanto os demais servidores da segurança pública, da educação, da saúde, da assistência social, do judiciário e de muitos outros setores que colaboram de maneira incessante para atender as demandas tão urgentes da sociedade brasileira.

Apesar da data comemorativa, que nos enseja a estreitar cada vez mais os laços com o coletivo do funcionalismo, é preciso ressaltar que as milhares de lutas históricas encampadas pelos servidores das mais diversas categorias precisam  ser resgatadas para que nossos direitos não sejam ameaçados. 

Ao longo dos últimos três anos, reformas aprovadas pelo Congresso Nacional - tanto em relação a propostas orçamentárias que reduziram investimentos no serviço público quanto a projetos de supressão de direitos trabalhistas - colocaram em xeque conquistas muito árduas obtidas pelos trabalhadores e seus respectivos sindicatos em décadas.

Simultaneamente, a falta de reajuste salarial como forma de reconhecimento e de valorização dos servidores federais, estaduais e municipais, aliada à queda na qualidade da estrutura oferecida à população e às condições de trabalho relegadas ao funcionalismo, ampliaram esses ataques e tornaram cada vez mais difícil a condução de atendimentos dignos e que respeitem as necessidades da população.

Não obstante, muitos gestores públicos têm se utilizado do falso argumento de que o serviço público é ineficiente - em meio a toda essa falta de recursos e sucateamento de responsabilidade do próprio Estado - para justificar concessões dos serviços públicos a empresas, organizações sociais e privatizações integrais, o que coloca em risco não apenas os empregos dos trabalhadores quanto os próprios serviços disponíveis às pessoas.

Nesse contexto, o serviço público brasileiro ainda luta e apenas por isso conseguiu sobreviver a tamanhos ataques, sem se esquecer que muitos outros ainda virão. Por isso assim deve permanecer, unido e forte para suportar as batalhas futuras.

Em São Paulo, onde o governo do Estado quer privatizar o sistema prisional e já colocou sob cogestão quatro unidades no interior, o SIFUSPESP representa um bastião de resistência para manter a essência da segurança pública e evitar que as penitenciárias se tornem um modelo de negócio. 

Esse é o olhar do sindicato para o Dia do Servidor Público. Comemorar e homenagear os valorosos servidores pelo trabalho prstado à população, mas sem tirar do horizonte a manutenção cotidiana das lutas em prol de direitos.