compartilhe>

No contato direto com os detentos e no combate ao crime organizado, trabalhadores são exemplo de união e perseverança para manter o sistema seguro e sustentável

 

por Giovanni Giocondo

Homens e mulheres que fazem a custódia e promovem a disciplina e a segurança dos sentenciados no sistema prisional paulista recebem neste domingo, 12 de maio, as sinceras homenagens do SIFUSPESP.

São os agentes de segurança penitenciária(ASPs), valorosos seres humanos que enfrentam toda sorte de dificuldades no cotidiano das unidades prisionais com o objetivo maior de zelar para que os sentenciados cumpram as penas para as quais foram condenados.

São eles também que dão início ao processo de ressocialização dos detentos, cumprindo com o que determina a Lei de Execução Penal(LEP), permitindo assim que haja respeito aos direitos dos próprios apenados.

O Dia do ASP foi instituído pela Lei estadual 15.089, em 2013, como forma de homenagear aos guerreiros que lutaram arduamente contra o crime organizado alguns anos antes e que seguem lutando na atualidade.

Em 2006, foi uma equipe de agentes de segurança penitenciária que desbaratou um plano articulado dentro das unidades prisionais para promover uma série de rebeliões em todo o Estado, seguida de uma onda de violência que atingiu servidores do sistema prisional - oito deles assassinados na ocasião, além de policiais civis, militares e da população paulista, que sofreu durante um mês com o terror dos ataques.

Passados treze anos desde esse episódio, um dos mais trágicos da história da segurança pública, os ASPs prosseguem com sua incansável batalha de combate ao crime organizado dentro e fora das unidades prisionais. Sem o alerta feito pelo setor de inteligência dentro das unidades, o caos do lado de fora teria muito mais impacto.

Apesar dos riscos que suas vidas e a de suas famílias correm diante dessa recorrente ameaça e ainda muito invisíveis diante da população em geral, os agentes se mantêm  inabaláveis em sua missão de fazer com que a sociedade prossiga com sua rotina sem temer mais ataques semelhantes aos de 2006.

Mesmo com seus salários desvalorizados, unidades prisionais superlotadas, com baixo efetivo funcional para o pleno funcionamento do sistema, e em muitas ocasiões agredidos, com sua saúde física e psicológica comprometida, sob desvio de função, sofrendo com assédio moral, sob jornada extenuante e forte pressão de superiores hierárquicos, eles resistem e, fortes como nunca, ganham hoje essa merecida lembrança.

Em um momento no qual a atual gestão do governo do Estado aponta para a privatização do sistema e ignora toda essa história celebrada no dia de hoje, o SIFUSPESP lembra aos ASPs que apesar de não termos o que comemorar, temos muito o que lutar para que nossos direitos e a memória dos companheiros que tombaram sejam respeitados.

Que os agentes de segurança penitenciária continuem em frente e que eles possam contar com a estrutura e o amparo do sindicato em todos os momentos de suas vidas!

Parabéns pela garra e pela coragem de sempre!

Esses são os votos do SIFUSPESP! Feliz dia do ASP!