compartilhe>

Nos últimos sábado e domingo, dias 23 e 24 de março, as ocorrências de tentativas de entrada de ilícitos nas unidades prisionais foram diversas, entretanto os trabalhadores penais, utilizando da expertise adquirida no dia a dia, por observação de comportamentos suspeitos e em algumas unidades com auxílio do aparelho de scanner corporal, obtiveram êxito no procedimento de revista.

Ao contrário do que pensa o senso comum, esta não é uma tarefa fácil de ser realizada. Assim como o scanner não substitui o trabalho de inteligência e perspicácia para o cumprimento da operação. Além disso, com a superlotação das unidades, o número de visitantes é absurdo e o déficit funcional é um fator agravante.

Desta maneira, o SIFUSPESP exalta os funcionários do sistema prisional paulista pela realização deste trabalho. Parabéns aos guerreiros!

 

Segue abaixo os destaques das apreensões, hoje colocamos as tentativas de mensagens que têm sido cada vez mais frequentes, geralmente tentativa de comunicação das organizações criminosas:

Uma mulher foi flagrada, ao tentar sair da Penitenciária “Joaquim de Sylos Cintra”, em Casa Branca, com anotações escondidas na genitália;

Em Assis durante o procedimentos de revista em visitantes no presídio, uma servidora da unidade identificou que uma das mulheres trazia anotações na parte interna das calças.

 

Região Metropolitana de São Paulo

Pinheiros

Servidoras impediram que a companheira de um preso entrasse no Centro de Detenção Provisória (CDP) "ASP Vicente Luzan da Silva", de Pinheiros I, com aparelho de celular introduzido em sua genitália. A irregularidade foi observada no momento em que a visitante passou pelo escâner corporal, aparelho que apontou a irregularidade.

Itapecerica da Serra

Uma visitante foi pega em flagrante ao tentar entrar no Centro de Detenção Provisória (CDP) "ASP Nilton Celestino", de Itapecerica da Serra, com o equivalente a 17 gramas de maconha, escondidas em fundo falso da tampa da garrafa de sabão líquido.

Osasco

No Centro de Detenção Provisória (CDP) "ASP Vanda Rita Brito do Rego", de Osasco II, a companheira de detento tentou entrar na unidade prisional com ilícitos em um invólucro. Ela passou pelo escâner corporal quando os servidores observaram algo incomum em sua parte íntima. A visitante negou que tivesse algo introduzido, mas ao ser informada que seria levada para um hospital da região, a mesma confessou estar com o itens proibido introduzido em sua genitália. No pacote, ainda foram constatadas maconha e cocaína.

Santo André

Servidores do Centro de Detenção Provisória (CDP) de Santo André, identificaram, por meio de revista no aparelho de escâner corporal, a imagem de um volume incomum na altura da genitália de uma visitante. A mulher foi questionada e, nesse momento, retirou e entregou à servidora que a acompanhava um objeto que estava costurado em sua calcinha. No invólucro, foram encontrados quatro cartelas de droga sintética, aparentando ser "K4". Na mesma unidade prisional, outra visitante foi surpreendida ao passar pelo scanner corporal. O aparelho indicou anormalidade na altura da cintura. Encaminhada a uma sala reservada a mulher retirou o objeto que estava introduzido em seu corpo. Tratava-se de um aparelho de telefonia celular.

São Bernardo do Campo

No último domingo, foi apreendido com uma visitante aproximadamente de 77 gramas de cocaína e 10 gramas de maconha. Ambas as substâncias estavam em um envólucro plástico, juntamente com um extrato bancário, introduzido em sua genitália.

 

Vale do Paraíba e Litoral

Caraguatatuba

Agentes de segurança do Centro de Detenção Provisória “Dr. José Eduardo Mariz de Oliveira”, o CDP de Caraguatatuba, encontraram um microchip de companhia telefônica nos pertences trazidos por uma visitante de 25 anos. A suspeita trazia o objeto escondido em meio ao kit de higiene que entregaria a seu companheiro, detento do presídio.

Potim

Uma mulher de 27 anos foi surpreendida com um invólucro de maconha, pesando 21 gramas, ao tentar entrar na Penitenciária “AEVP Jair Guimarães de Lima”, a PI de Potim. Com as imagens geradas pelo escâner corporal, as servidoras da unidade identificaram algo estranho na região pélvica da visitante, que, questionada, admitiu trazer a droga em seu corpo.

São Vicente

Na Penitenciária II de São Vicente, ao todo, foram apreendidos 212 gramas de entorpecentes, que as suspeitas traziam dentro do corpo. As agentes de segurança do presídio identificaram um objeto estranho na região pélvica das visitantes, a partir das imagens geradas pelo escâner corporal. Ambas são companheiras de sentenciados da unidade prisional e confessaram o ato ilícito. Uma das mulheres, de 22 anos, carregava um invólucro com 98 gramas de cocaína na genitália, a outra, de 26 anos, trazia 50 gramas de maconha e 64 gramas de cocaína em pacotes introduzidos no corpo.

 

Região Noroeste

Álvaro de Carvalho

Agentes de segurança apreenderam 151 gramas de maconha escondidas na genitália de uma visitante, durante procedimento de revista realizado na Penitenciária “Valentim Alves da Silva” de Álvaro de Carvalho. A droga foi apontada pelo escâner corporal, mas a mulher negou qualquer irregularidade e disse que não aceitaria ser submetida a exames em unidade hospitalar. A mulher tentou se livrar da droga que carregava mas sua ação foi flagrada por funcionários da unidade.

Avaré

Uma mulher foi flagrada pelas servidores tentando entrar com maconha escondida na genitália, durante procedimento de revista pelo escâner corporal na Penitenciária I “Dr. Paulo Luciano de Campos” de Avaré. Questionada, ela negou qualquer a irregularidade e, diante da situação, foi encaminhada ao hospital da cidade, onde exame de Raio X comprovou que a mulher tentava entrar no presídio com 161,7 gramas da droga introduzidas em sua genitália.

Cerqueira César

Uma mulher foi flagrada com 48,5 gramas de maconha escondidas em seu corpo, durante procedimento de revista pelo escâner corporal da Penitenciária de Cerqueira César. Após ser descoberta, a visitante confessou a infração para servidoras de plantão e concordou em retirar a droga de seu corpo.

Itatinga

Uma mulher foi flagrada com 104,03 gramas de maconha escondidas em sua genitália, durante procedimento de revista pelo escâner corporal do Centro de Detenção Provisória de Itatinga. Após ser descoberta, a visitante confessou a infração e concordou em retirar a droga de sua genitália.

Ribeirão Preto

Servidoras flagraram uma mulher com uma porção de maconha escondida na genitália, durante procedimento de revista pelo escâner corporal da Penitenciária de Ribeirão Preto. Ela assumiu que escondia a droga e foi levada até uma sala reservada, quando concordou em retirar espontaneamente de sua genitália a droga, acondicionada em fita adesiva.

 

Região Central

Hortolândia

Em dia de visita, duas mulheres foram impedidas na Penitenciária “Odete de Campos Leite Critter”, Hortolândia II. Os flagrantes ocorreram durante o procedimento de revista. Na primeira apreensão, agentes impediram a companheira de um detento que levava 15 gramas de cocaína dentro de um tubo de creme dental. Na segunda ocorrência, a outra mulher estava com um celular na genitália e foi descoberta por meio da imagem feita pelo escâner corporal. Ela pretendia entregar o eletrônico ao companheiro.

Casa Branca

Uma mulher foi flagrada, ao tentar sair da Penitenciária “Joaquim de Sylos Cintra”, em Casa Branca, com anotações escondidas na genitália. Agentes logo perceberam o nervosismo que ela demonstrou ao sair do local. Os servidores pediram para que ela passasse pelo escâner corporal outra vez. Nesse momento, foi percebido que havia alterações na região pélvica dela. Diante disso, ela imediatamente confessou que estava com informações em um papel. No dia seguinte, a mãe de um detento tentou entrar na Penitenciária com 48 gramas de maconha e 28 gramas de cocaína escondidas nos maços de cigarros que levava para o filho.

Jundiaí

No Centro de Detenção Provisória (CDP) “Marcos Antônio Alves Bezerra”, em Jundiaí, agentes acharam, maconha em 21 cigarros que estavam escondidos com a visitante de um dos presos. O flagrante foi feito durante uma vistoria na sacola de alimentos que a mulher carregava.

 

Região Oeste

Assis

Agentes realizavam os procedimentos de revista em visitantes para permitir a entrada delas no presídio, uma servidora da unidade identificou que uma das mulheres trazia anotações na parte interna das calças, o que também foi informado via denúncia anônima. O material foi apreendido.

Mirandópolis

Na Penitenciária "Nestor Canoa", ao passar os alimentos trazidos por familiares de sentenciados pelo aparelho de raio x, servidores encontraram, prontamente, três anotações escondidas em uma vasilha plástica contendo arroz. O objeto seria entrega ao companheiro da mulher que cumpre pena na unidade prisional.

Lavínia

O irmão de um sentenciado da Penitenciária "ASP Paulo Guimarães" de Lavínia III, tentou driblar a segurança da unidade prisional e tentou ingressar no local dois invólucros contendo placas de celular em uma vasilha de alimentação. A descoberta foi feita no momento em que passavam o recipiente pelo aparelho de raios X para revista.

Presidente Bernardes

Na Penitenciária "Silvio Yoshihiko Hinohara" de Presidente Bernardes, cinco visitantes foram surpreendidas tentando entrar com objetos proibidos. Os itens foram descobertos durante os procedimentos de revista, via escâner corporal, aparelho pelo qual foi possível visualizar 25 chips e 10 alto falantes com fone de ouvido escondidos na sola de chinelos e mais três celulares escondidos nas partes íntimas das visitantes.

Andradina

Durante os procedimentos de revista na Penitenciária "Anísio Aparecido de Oliveira", de Andradina, pelo escâner corporal, Agentes de Segurança Penitenciária visualizaram pelas imagens geradas no equipamento que uma visitante escondia algo estranho na altura da genitália. Após ser questionada, a mulher entregou prontamente um volume que continha maconha.

Valparaíso

A irmã de um sentenciado foi impedida por agentes da Penitenciária de Valparaíso de entrar na unidade prisional escondendo dois invólucros com 2 celulares, 4 alto falantes e 2 pedaços de fio de estanho medindo aproximadamente seis centímetros cada.

Martinópolis

Na Penitenciária "Tacyan Menezes de Lucena", de Martinópolis, a companheira de um sentenciado tentou ingressar na unidade prisional portando pacotes de fumo desfiados que, na verdade, ocultavam erva esverdeada que aparentava ser maconha. A descoberta foi realizada durante a passagem dos materiais pelo aparelho de raios X.

 

 

Leia a matéria:

http://www.sap.sp.gov.br/noticias/pauta-26-03-19.html#top