compartilhe>

Claudir Santos teve licenças negadas, está sem poder trabalhar e sem receber salários há três meses, e depende da ajuda dos colegas do sistema

 

Formado na primeira turma de agentes de escolta e vigilância penitenciária(AEVPs) da história do sistema prisional paulista, em 2002, e grande exemplo de heroísmo na função dentro do Centro de Detenção Provisória(CDP) de Taubaté, o servidor Claudir de Oliveira Santos, de 55 anos, vem passando por grandes dificuldades financeiras e precisa da ajuda de toda a categoria para conseguir seguir em frente.

Diagnosticado com problemas ortopédicos e psiquiátricos graves, que o impedem de exercer suas atividades normalmente e sem conseguir o direito à readaptação para funções equivalentes em seu rol de serviços, o AEVP teve negadas quatro licenças médicas e está há três meses sem receber seus salários, o que fez com que a vida do servidor tenha se tornado extremamente difícil de administrar diante de tanto sofrimento e falta de dinheiro.

Com total respaldo do Departamento Jurídico do SIFUSPESP, Claudir busca obter na Justiça sua aposentadoria por invalidez ou outra alternativa que faça com que ele retome seu trabalho sem ser prejudicado em sua saúde funcional. No entanto, enquanto não conseguir uma decisão favorável, dependerá do esforço dos colegas para doações em dinheiro que visem a auxiliá-lo a pelo menos reduzir suas dificuldades.

As doações devem ser depositadas na conta do Daniel, filho do Claudir, cujos dados são os seguintes:

 

Banco Itaú

Agência: 7300

Conta :  06294-5

CPF: 38895104854

Daniel Augusto de Souza Ramos Santos

 

O SIFUSPESP está oferecendo todo o apoio possível ao AEVP, e conta com a solidariedade da categoria nesse momento de dificuldade enfrentado por ele, situação à qual infelizmente muitos de nós estamos sujeitos.

O sindicato somos todos nós, unidos e organizados!