compartilhe>

Em reunião no Palácio dos Bandeirantes, que contou com presença do SIFUSPESP, secretário Maurício Juvenal também sinalizou positivamente para regularizar outros certames. Cálculo de bônus deve ser divulgado na próxima semana

 

Em reunião realizada no Palácio dos Bandeirantes na tarde desta segunda-feira, 22/10, integrantes do SIFUSPESP, representantes de candidatos aprovados em concursos que aguardam pelas nomeações e homologações, além de deputados federais e estaduais, conseguiram acertar um compromisso com o governo do Estado para que sejam regularizados os certames de 2013(AEVP e ASP feminino) e 2014(AEVP).

No encontro com o secretário estadual de Planejamento e Gestão, Maurício Juvenal, a comitiva recebeu a informação de que será zerada a lista de espera dos remanescentes do concurso para agentes de escolta e vigilância penitenciária(AEVPs) de 2013, além da continuidade das chamadas do concurso para a mesma carreira, só que de 2014, o mesmo valendo para as agentes de segurança penitenciária(ASPs) do gênero feminino de 2013.

Ainda durante a reunião, Juvenal informou que na próxima semana devem ser estabelecidos em definitivo os cálculos referentes aos bônus a serem concedidos a todos os trabalhadores penitenciários. A concessão do bônus havia sido acertada como parte do acordo que pôs fim à greve da categoria em 2014, mas nunca foi cumprida pelo governo Geraldo Alckmin(PSDB).

Além do presidente do SIFUSPESP, Fábio César Ferreira, o Fábio Jabá, participaram da reunião parlamentares eleitos no pleito de 2018, entre eles a deputada estadual Adriana Borgo(PROS) e o deputado federal Coronel Tadeu(PSL). Também estiveram na sede do governo paulista representantes dos candidatos remanescentes do concurso AEVP 2013, entre eles João Henrique, Luan Lima, Bruno Honório e Diego Munhoz.

Fábio Jabá analisou de forma positiva o resultado da reunião desta segunda-feira, lembrando que os trabalhadores precisam se manter alertas e unidos pelo cumprimento dos compromissos do governo do Estado. “A chamada dos candidatos já aprovados nos concursos poderá dar início a um processo de redução do déficit funcional, que tanto exigimos para que a segurança do sistema prisional paulista seja reforçada”, reiterou o presidente do sindicato.