compartilhe>

 

Servidores do sistema prisional conseguiram índice de correção de 3,5%, que havia sido proposto em projeto original de Alckmin, aprovado neste mês pela Alesp. SIFUSPESP continua luta pela reposição inflacionária

 

O governador Geraldo Alckmin(PSDB) sancionou nesta quarta-feira, 21/03, o projeto de lei nº 1.317, que reajusta os salários dos servidores públicos do estado de São Paulo.

Os funcionários do sistema prisional terão aumento de apenas 3,5%, à semelhança da maioria dos servidores. Policiais terão alta de 4% e professores efetivos, 7%.

A tabela com os novos valores dos salários está disponível entre as páginas 3 e 11, do Caderno Executivo I, do Diário Oficial do Estado de São Paulo desta quinta-feira, 22/03. Confira no link: https://bit.ly/2GRDd4s

Os vencimentos básicos dos ASPs variam entre R$1.395,12 e R$2.058,72, conforme a classe. Os dos AEVPs, de R$1.163,41 a R$1.991,92.

Oficiais administrativos e operacionais, enfermeiros, psicólogos e outros trabalhadores das áreas meio da Secretaria de Administração Penitenciária(SAP) possuem faixas salarias específicas, que devem ser consultadas conforme define a lei 1.080, de 17 de dezembro de 2008.

O manual de legislação e base de cálculo para o demonstrativo do pagamento de cada um desses funcionários, com os valores ainda de 2017, estão disponíveis neste link: http://www.sap.sp.gov.br/…/drhu/manuais/manual-area-meio.pdf

Confira ainda hoje em nosso site e redes sociais outras informações sobre o impacto da medida no bolso dos servidores e a continuidade das lutas do SIFUSPESP para que haja um reajuste realmente digno e condizente com as perdas inflacionárias tidas pelos trabalhadores penitenciários.

É importante ressaltar que não havia qualquer tipo de aumento desde 2014.

A assessoria de imprensa da Secretaria da Fazenda esclareceu ao SIFUSPESP que “os pagamentos retroativos da diferença do piso salarial relativos aos meses de janeiro(que é o mês de referência para fevereiro) e fevereiro(referência para março), assim como o reajuste salarial referente ao mês de fevereiro, serão processados em folha suplementar também em abril”.

O sindicato, ao lado de entidades representativas de outras categorias do funcionalismo, batalhou na Assembleia Legislativa para pressionar os deputados estaduais a aprovar um aumento superior.

Porém, a forte base parlamentar de apoio do tucano na Alesp impediu mudanças mais significativas nos salários dos servidores. Mas a luta do SIFUSPESP continua.