compartilhe>

Hoje, dia 12 de março, estivemos na ALESP, auditório José Bonifácio, mantendo a luta dos aprovados em concurso que esperam chamada.

 

A atitude do governo tem sido a de não falar mais o assunto. Sabemos que o concurso do ASP feminino está por caducar (ASP 2013), ASP 2014, AEVP 2014, e até mesmo o próprio concurso de ASP 2017 que encontra-se na fase de Investigação Social e concurso da área meio que foi homologado em 2018, deve ser objeto de nossa atenção, e apoio de toda a categoria. Tivemos presentes também aprovados da nossa força co-irmã Polícia Militar.

 

Chamada de Concursos anteriores e tema de sindicato único foram centrais

O Deputado Carlos Giannazi por meio de seu mandato, junto ao SIFUSPESP convidou a todos a participar do ato, estiveram presentes diversos representantes de concursandos, os deputados eleitos Sargento Neri, e Adriana Borgo. Também se fiz presente Gilson Pimentel, presidente do SINDCOP, a quem Fábio Jabá exortou para construir um PROJETO, que permita que nossa categoria tenha um grande sindicato para fazer frente daqueles que estão contra nós. Jabá salientou que o mero discurso de pauta única não significa ação organizada e unificada com coragem e luta efetiva. E por isso diz insistir no caminho de um SINDICATO ÚNICO.

 

Fábio Jabá, salientou que reduzir a dimensão do debate de um sindicato único a questões orçamentárias é um erro, ainda que ter um grande orçamento permita que façamos muito mais por nossa categoria, com luta organizada, transporte para atos, maior amplitude de nossa comunicação e busca de apoios nacionais e internacionais contra ameaças à nossa categoria.

 

Jabá demonstrou interesse em criar um plano de transição e de ações conjuntas tendo como meta a fusão dos sindicatos já em um projeto amplo de ação e militância. Consideramos o gesto da presença do SINDCOP uma oportunidade para iniciar um diálogo franco, mas com objetivo claro: SINDICATO ÚNICO. No mais, o SIFUSPESP tem clareza de seu projeto e já está na luta.

Entre diversos eixos de ação, o SIFUSPESP tem como uma de suas políticas mais importantes a luta pela chamada de remanescentes aprovados em concursos anteriores, e por isso irá participar do evento.

 

Neste evento tivemos oportunidade de dar visibilidade ao tema. Nossa presença tem sido constante em atos de reivindicação. Permanente acompanhamento, trocas e ações conjuntas pela internet e em atos.

 

Para todos da categoria, parece claro que é uma luta fundamental, à medida que temos um enorme déficit de funcionários. E foi importante o debate, uma vez que do mesmo surgiram diversos compromissos e ações futuras.



Manifestações

O presidente do SIFUSPESP, Fábio Jabá, em fala na Audiência Pública afirmou que já é tempo de “radicalizar com o governo do Estado de João Dória, já que não tem demonstrado o mínimo respeito com o servidor público e principalmente com o servidor do sistema prisional”.

 

Apesar de os deputados, conduzidos pelo deputado Paulo Giannazi, terem uma reunião com o secretário da SAP, Coronel Restivo, prevista para a próxima semana. Além do problema do déficit funcional e da necessidade da chamada de novos funcionários, sendo a URGÊNCIA da chamada das ASPs femininas do concurso de 2013, Fábio Ferreira chamou atenção dos problemas de saúde mental gerados pelo excesso de trabalho, a “escravidão do Dejep” e o perigo do número ínfimo de trabalhadores penitenciários frente ao processo de fortalecimento do crime organizado nas prisões.

 

Jabá lembrou das agressões sofridas por servidores do sistema, da contínua campanha do governo em relação à privatização das unidades e a falta de conhecimento do sistema penitenciário paulista. Clamou por união e organização de manifestações por toda a categoria, todas as áreas, todos os profissionais. O sindicato único também foi uma das necessidades apontadas pelo presidente do SIFUSPESP.

 

Carlos Giannazi foi bastante enfático em relação aos reflexos do sucateamento da máquina pública da segurança pública na saúde dos trabalhadores e na piora do sistema de segurança pública para a população. Considera importante maior transparência no processo de privatização e que o mesmo não guarda vínculos com princípios legais e de compromisso com a segurança e bem estar sociais. Trata-se de um tema que se reflete em toda a sociedade, e não deve ser tratado como mera oportunidade de negócio. Também foi bastante enfático em relação ao combate a Reforma da Previdência que encontrou brava e forte crítica nas palavras do Deputado Eleito Sargento Neri. 



Ao final do evento foram retirados encaminhamentos

Depois de extenso debate, manifestações emocionantes de muitos concursandos, e forte apoio ao SIFUSPESP, e as bandeiras de luta contra a privatização e Chamada Já, algumas linhas práticas de luta foram definidas:

 

  1. será formada uma comissão de deputados (pelo menos os deputados abaixo citados já confirmaram), junto com SIFUSPESP, e com representantes dos aprovados em concursos, para ter reunião com secretário da SAP. Apoiam esta iniciativa: Dep. Carlos Giannazi, Dep. Sargento Neri, Dep. Adriana Borgo, Dep. Ed Thomas.

 

  1. também, será feita uma comissão do pessoal remanescente da PM, com apoio do SIFUSPESP, para reunir-se com o secretário de segurança pública;

 

  1. Giannazi propôs fazer manifestações em todos atos públicos de Dória, por: CHAMADA JÁ e CONTRA A PRIVATIZAÇÃO;

 

  1. Também, em sintonia com estratégias do SIFUSPESP, definiu-se a necessidade de ataques nas redes sociais em todos os posts do governo pedindo: #chamadajá e #contra_privatização;

 

  1. Além disso, serão buscados parceiros institucionais para travar uma luta política e jurídica pela #chamadajá;

 

  1. Fábio Jabá convocou a categoria e aprovados em concursos para fazer presença na Alesp, a partir das 14h, no dia 15 de março, ou seja na próxima sexta-feira, e aproveitar a posse dos novos deputados e eleição da mesa diretiva para dar visitilidade a luta pela: #chamadajá e #contra_privatização. Compareça você também.

 

  1. Jabá avançou no debate propondo que seja proposta Lei, tanto em âmbito federal como estadual, que fixe um mínimo de contingente de trabalhadores por unidade prisional, conforme o perfil da unidade, bem como, considerando também o número de detentos.

 

  1. Jabá também propôs a criação de lei para Reposição automática do pessoal exonerado e aposentados, por candidatos aprovados em concursos ou que estejam em fila de espera.

 

O espaço de debate permitiu iniciar uma base de apoio no Legislativo para estas e outras medidas. Por isso, foi fundamental a realização da Audiência Pública Chamada Já!



O SIFUSPESP somos todos nós, unidos e organizados. Filie-se.