Elias Bitencourt

Agente penitenciário e Diretor de Imprensa do Sifuspesp
compartilhe>

 

Por Elias Bitencourt - Diretor de Comunicação e Imprensa do Sifuspesp

 

Quando entrei no sistema, não sabia que ele não sairia de mim. A cadeia nos prende de alguma forma, porque é uma forma de vida. Quem trabalha no sistema sabe.

Ali aprendi a fortalecer minhas convicções, porque o sistema exige firmeza e posição. Isso não te garante que ele não vá consumir sua vida. Mas de alguma maneira aprendemos isso, para o bem ou para o mal.

Comecei a lembrar, outro dia, de quantos amigos perdi nesta caminhada. Nesta terça-feira participei do debate do filme A gente, um trabalho que parabenizo pela capacidade de mostrar para a sociedade nossa realidade de vida, o que é trabalhar no sistema prisional.

Senti orgulho e força de poder dizer que sou agente prisional. Fui perguntado se aconselharia alguém a prestar o concurso e entrar no sistema. Fui sincero, respondi que não.

No debate, concordei com alguns pontos de vista e outros discordei, mas entendi que a chave para sermos respeitados como cidadãos é saber escutar, e dialogar, e se não me deixarem falar, me impor, e mostrar minha verdade.

Estes momentos me dão a certeza do que estou fazendo, agora na luta sindical tentando ser canal de muitos companheiros e companheiras do sistema, não só agentes, mas também agentes de escolta e vigilância penitenciária(AEVPs), e técnicos. Muitos deles estiveram no evento.

Senti que este é um momento complicado para o povo brasileiro, mas nós que enfrentamos uma realidade tão dura, e sobrevivemos ao sistema, se estivermos unidos em objetivos comuns (não vamos concordar em tudo, mas podemos encontrar objetivos comuns), bom,  vamos colher vitórias e ajudar muita gente dentro e fora do sistema, com nossa experiëncia e força.

Aqueles que nos querem desunir são contra este potencial que temos. E eu acredito que ajudar ao próximo, realizar coisas em conjunto, é um dom de Deus, e algo que nos enche de orgulho e coragem quando conseguimos fazer.

Mando um abraço forte para os companheiros e companheiras. Contem comigo para enfrentar a todos que desejem sabotar nosso destino de lutar por uma vida melhor, de lutar por nossas verdades, e por nossas famílias.

Estamos juntos, ou unidos e fortes, ou desunidos e frágeis. Essa é nossa realidade.

Quando o barulho da tranca grita atrás de você na primeira vez que você entra na cadeia, meu amigo, minha amiga, você nunca mais será o mesmo. Que essa seja a força para realizarmos grandes vitórias juntos.

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar