O ano de 2005 praticamente serviu para o sindicato fazer o “rescaldo” do grande embate de 2004.

Em 2006 o governador Cláudio Lembo (Alckmin afastara-se para concorrer às eleições presidenciais) negociava com as polícias militar e civil o AOL (Adicional Operacional de Localidade ), aprovado posteriormente como PLC 34/06, deixando em princípio os funcionários prisionais fora das discussões.

O SIFUSPESP pressionou na ALESP com manifestações, culminando com paralisações em algumas unidades do estado. O governo, pressionado e fragilizado pelos atentados contra a sociedade paulista e o conseqüente assassinato de Agentes Públicos (agentes prisionais, policiais civis, militares e bombeiros), encaminhou à ALESP e conseguiu a aprovação da Lei Complementar 999 de 31/05/2006, que instituía o AOP (Adicional Operacional Penitenciário) para todos os ASPs e AEVPs no valor de R$ 400,00.

A INCORPORAÇÀO DAS GRATIFICAÇÒES E A APOSENTADORIA ESPECIAL CONTINUAVAM COMO DUAS GRANDES BANDEIRAS DE LUTA.