compartilhe>

 

O objeto da reivindicação é a manutenção do CPP3 que pode ter seu terreno cedido à área de expansão industrial

 

O Sindicato dos Funcionários do Sistema Prisional do Estado de São Paulo (SIFUSPESP) da regional da cidade de Bauru realiza mobilização em favor da manutenção do Centro de Progressão Penitenciária (CPP) 3 junto ao poder legislativo. Uma reunião com foi realizada na última segunda-feira (05/02) com o presidente da Câmara Municipal de Bauru, Alexssandro Bussola (PDT) que recebeu membros do SIFUSPESP e a comissão de funcionários representantes do CPP 3, onde foi realizada proposta de audiência com o prefeito Clodoaldo Gazzeta (PSD) para negociação.

Ocorre que no final de 2017 foi veiculado pela imprensa da cidade a notícia de que a prefeitura da cidade solicitaria ao Estado a doação dos terrenos da fazenda, entre estes está o local onde a unidade prisional está instalada. A justificativa do executivo seria a expansão industrial da cidade, entretanto a ação afetaria a vida de dezenas de funcionários do sistema prisional..

Estiveram presentes representando o SIFUSPESP a vice-presidente Márcia Ferraz Barbosa, o primeiro secretário Reinaldo Duarte Soriano e o diretor do departamento jurídico Wellington Braga de Oliveira junto a comissão funcionários que representam a unidade prisional com os servidores Nivaldo Sales e Marcel de Oliveira.

“O CPP 3 está localizado numa região que é de intenção da prefeitura que seja um novo polo industrial. Entretanto isso afetaria a vida de 200 funcionários que ali trabalham e já possuem suas vidas estabelecidas na região. Acarretaria em transferências obrigatórias, além do remanejamento de presos para outras unidades já superlotados”, afirmou Wellington Oliveira, diretor jurídico do sindicato.

O presidente da Câmara recebeu os funcionários que apresentaram seus receios e comprometeu-se a marcar agendar uma reunião com o chefe do poder executivo para que o mesmo designe a exata área da pretensa expansão industrial da cidade de Bauru e principalmente que pactue a preservação da área onde encontra-se localizado o CPP3.

WhatsApp Image 2018 02 07 at 07.37.20

 

 

O agente recebeu moção de aplauso pela participação da prisão de um homem que estuprou e assassinou uma criança, o crime horrorizou a cidade

 

O Agente de Segurança Penitenciária (ASP) Francisco J. Alves Ferreira, mais conhecido como J. Alves,  foi homenageado na tarde desta terça-feira (06/02) na Câmara Municipal de Santana do Paraíba por ter participado da prisão de um homem acusado de estupro de vulnerável e assassinato. O caso aconteceu no final do ano passado, 2017 e estarreceu a cidade, a vítima foi uma criança de 4 anos.

Entenda:<https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/policia-prende-vizinho-suspeito-de-matar-crianca-de-4-anos-na-grande-sp.ghtml>

Na cerimônia de homenagem da Câmara Municipal, os vereadores entregaram moções de aplauso aos envolvidos na resolução deste caso. O ASP Francisco estava entre eles. O diretor de comunicação Elias Bitencourt acompanhou o merecido reconhecimento aos profissionais que elucidaram o caso e encaminharam o responsável pela barbárie para a Justiça.

“Foi uma bela homenagem da parte dos vereadores da cidade ao ASP, ao grupo da guarda civil municipal e aos policiais militares. Importante estar presente nestes momentos em que o trabalho do funcionário prisional é reconhecido, visto e aplaudido. Assim deve ser”, afirmou Bitencourt.

WhatsApp Image 2018 02 06 at 15.53.17

 

O presidente do Sindicato dos Funcionários do Estado de São Paulo (SIFUSPESP), Fábio César Ferreira, o Jabá e demais diretores estiveram nesta terça-feira (06/02) na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) pressionando os parlamentares para que considerem as perdas inflacionárias dos últimos quatro anos, período no qual não houve qualquer tipo de reajuste para os servidores públicos.

Ainda que já assegurado alguns encaminhamentos pela liderança do PT, o presidente e diretores do sindicato foram ao gabinete do deputado estadual Caio França (PSB), líder do partido, onde encaminharam as propostas de emendas e pedindo apoio.

“É importante a articulação de diferentes partidos no sentido de fortalecer o pedido de emendas, em todos os partidos. Este é um trabalho de organização e estratégia”, afirmou Jabá.

 

Deputado Alencar Santana Braga, líder do PT na Alesp, e presidente do SIFUSPESP, Fábio César Ferreira, convocam os servidores públicos paulistas a pressionar os parlamentares para que sejam feitas emendas que garantam um reajuste salarial digno a todo o funcionalismo.

Em duas semanas, o colégio de líderes da Assembleia Legislativa vai se reunir e a presença maciça dos trabalhadores será fundamental para exigir que seus direitos sejam preservados.

 

Diretores do sindicato estiveram nesta terça-feira na Alesp para dialogar com deputados e protocolar ofício que sugere aumento salarial mais robusto para funcionários do sistema prisional e demais servidores públicos

 

Diretores do SIFUSPESP estiveram nesta terça-feira, 06/02, na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo(Alesp) para dialogar com o colégio de líderes da Casa sobre um pedido de emenda ao Projeto de Lei Complementar nº 1, de 2018, que estabeleceu aumento salarial de apenas 3,5% aos servidores do sistema prisional paulista. O projeto de lei foi encaminhado à Alesp por Alckmin em janeiro.

O sindicato  quer que os deputados estaduais levem em consideração as perdas inflacionárias dos últimos quatro anos, período no qual não houve qualquer tipo de reajuste para os servidores públicos.

No ofício encaminhado aos parlamentares, em consonância com o trabalho feito pela bancada do PT, o SIFUSPESP também requer a equiparação dos trabalhadores penitenciários aos das demais carreiras da segurança pública, que tiveram aumento superior, de 4%.

O SIFUSPESP também exige para todos o funcionalismo o mesmo reconhecimento dado aos professores, cujo aumento concedido foi de 7%. O sindicato ainda pede o fim do teto indexador dos salários, que limita os reajustes todos os anos.

Estiveram presentes na Alesp o presidente do SIFUSPESP, Fábio César Ferreira, o diretor adjunto do Departamento de Saúde, Ricardo Bordini, e o militante Otaviano Alves Ferreira Filho. O trio se reuniu com o assessor da liderança do PT, José Mentor, e vai articular novas conversas com parlamentares ao longo do debate sobre o projeto, que deve ocorrer ao longo de todo o mês de fevereiro.

Os representantes do SIFUSPESP também entregaram às lideranças uma carta em que exemplificam e detalham as justificativas para o pedido de reajuste salarial digno e condizente com as atuais condições de trabalho nas unidades prisionais.

 

Leia a íntegra:

 

Segurança Pública e Sistema Prisional, uma equiparação necessária

O Brasil tem passado por imensas transformações em um período muito curto de tempo. Nesse cenário, se evidencia a necessidade de tratar os temas de segurança pública em um outro patamar.

Os discursos nesse campo, muitas vezes radicais, concentram-se em duas tendências: Uma é a da salvaguarda da população carcerária na proteção de direitos humanos, o outro diz respeito aos processos de gestão dos espaços e da dinâmica administrativa da atividade de polícia e da gestão do encarceramento público. 

No Brasil, há em relação à política prisional uma perda de oportunidade com o isolamento deste sistema público dos demais aparatos de segurança pública. E se desejamos enfrentar de forma sincera e honesta a questão da insegurança social, devemos considerar como fundamental a união destes aparatos.

Para que esse processo ocorra, uma das questões fundamentais a ser desenvolvida é o reconhecimento da natureza do serviço público prestado nas unidade prisionais como o de Segurança Pública.

Essa tendência tem avançado no país com o advento da Proposta de Emenda Constitucional que institui a Polícia Penal, instrumento que foi fundamental no sucesso de processos semelhantes de equiparação dos trabalhos da segurança pública, como o da Polizia Penitenziaria Italiana, que atuou no combate à máfia.

Por todos esses motivos é que o SIFUSPESP(Sindicato dos Funcionários do Sistema Prisional do Estado de São Paulo) vem a público pleitear que seja dado um passo nesse sentido para o reconhecimento da natureza de Segurança Pública a que está vinculada a Administração Penitenciária.

O Estado de São Paulo pode sinalizar positivamente para que esta realidade seja trazida à tona e, em breve, a institucionalização da Polícia Penal encontre reflexo no cotidiano das unidades prisionais paulistas.

Aqui, entendemos que é possível desde já que o governo estadual em concordância com os parlamentares estabeleça o mesmo padrão de reajuste salarial e de benefícios concedidos aos Policiais Militares para os profissionais que integram as carreiras do sistema prisional.  

Assim, acreditamos que a caminhada se inicie com passos largos rumo às melhorias indispensáveis à segurança e à qualidade de vida desses trabalhadores e de toda a população.

WhatsApp Image 2018 02 06 at 17.22.21

a5f8b14a e297 4710 b780 61e2aa336583

 

e90f272d 5fcc 4830 a29d ca9f079417eb

Documento 1 página001